Lilypie Joana

Lilypie Kids Birthday tickers

Lilypie Diogo

Lilypie Third Birthday tickers

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Espantalhanço

A miúda, sendo muito observadora, distrai-se ao olhar "para ontem" corre a olhar para trás, anda de bicicleta a olhar para o lado e nem sei como até agora nunca lhe aconteceu nada de mais.
Desta vez, às corridas com um amigo vizinho foi directa, literalmente, à coluna da garagem de bicicleta, que virou, espetando com ela no chão. Quando lhe perguntei o que aconteceu, respondeu entre lágrimas gordas: "não virei!" Ah bom, mais descansada. Ainda bem que aprendeu a travar.
Vá, só um dedo trilhado e um certo orgulho meu, já que o choro foi mais pelo susto (do grito que dei) e lá conseguiu dizer "posso andar mais um bocadinho?"
Podes, põe o capacete que os bocadinhos prometem.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Crescendo

A Joana sempre gostou de companhia para adormecer. Foi-se habituando, porque em pequenita era tão resistente ao sono que era quase preciso segurá-la para sossegar.
Com a cama nova conseguimos convence-la a adormecer quase sempre lá.
Ultimamente tem tentado ser ainda mais crescida:
"Mamã à meia-noite vais embora?" [qual Cinderela]
"Porquê?"
"Para dormir sozinha."
"Ok, mas posso ir agora."
"Não, só à meia-noite."
À 1a saída do quarto descolei-a da cabeceira:
"Posso ficar aqui na madeira, eu gosto, eu não me magoo." [hábito de bebé e que eu também tinha]
"Posso deitar-me na tua barriguinha? Podemos ir para a tua cama?" - falso alarme, não foi desta!
Entretanto, disse em vários dias para irmos embora quando adormecesse.
Na 2a feira disse que queria ficar sozinha e depois do leite e do pai ter contado a história, ficou. Ficámos a ver quantos minutos demorava a levantar-se, mas não. Adormeceu e tem sido assim.

Noto-a mais autónoma em algumas situações, numas coisas resultado da escola, noutras progresso neste mês.
Nas férias também deu para perceber que há comportamentos e sensibilidade que não são consequência da escolinha, mas tornaram-se características da personalidade (ainda que a escola possa potenciar). Mantiveram-se neste período e embora signifique que temos que lidar com isso "a tempo inteiro", fiquei de certa forma contente, já que a escolinha é a "vida real".

A ver vamos como corre o regresso. Às vezes há nós que se resolvem sozinhos e não por pensarmos muito neles. Além disso, com os miúdos tudo é possível, são uma caixinha de surpresas! Nesta nova fase que se aproxima para mim (retoma profissional) dava um jeitaço uma das boas!

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Recordar

Quando me preparava para um belo post sobre as férias (que começava com algo como "Com esta bela chuva de Agosto, sabe bem recordar bons momentos") brindado com fotos, eis que o meu portátil, kaput, o ecrã foi-se de vez, após veementes ameaças #*+# - para arranjar um computador nunca é boa altura, todos sabemos. Terei que recordar mais tarde, que nunca é tarde para viver.
Fica a garantia: houve sol, calor, praia, mar, diversão, família, relax, birras e confusões (agora era a parte em que riscava estas duas palavras, mas que a aplicação android não permite)

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Olimpíadas


Nestas férias, graças aos Jogos Olímpicos, tivemos também férias do canal Panda e afins. Nas horas em que estávamos em casa, a miúda colava no canal 2 ou Eurosport (e quando não estava nestes pedia). Tornou-se fã de várias (todas!) modalidades, saltos para a água, vela, ténis de mesa, atletismo, hipismo, sendo a ginástica, sem dúvida, a preferida. Na praia recriou o salto em comprimento, prova de obstáculos de hipismo e claro, muitas rodas, pontes e saltos.

E claro, tal como muitos portugueses, incluindo dirigentes, ignorando as dificuldades por que passam os nossos atletas para treinar e competir, queria que Portugal ganhasse sempre, de preferência a medalha de ouro, com direito a hino e tivesse atletas em todas as provas.

Como a ela, apesar de tudo, (ainda) é mais difícil de justificar porque é que não pode ser, perante a impaciência de "Portugal está a ganhar? Portugal é o maior!", "E vai cantar o hino?", "Porque é que ficou em 2º? O 2º canta o hino?", "Porque é que não ganhou medalha de ouro?", íamos dizendo que sim, Portugal está a ganhar, ou que o 2º é bom, ou avançando que somos um país pequeno, com poucos atletas, por isso já é bom o 6º ou 8º, o importante é participar, ainda que sem hino, que até o podíamos cantar nós. E às vezes triste, lá se foi (às vezes) conformando, porque convém que desde pequenos nos habituemos que o país é pequeno de tamanho e de cabeça (pelo menos de quem nos governa).
E também não te estavamos a enganar minha filha, porque sim, estes atletas, que treinam após o trabalho e às suas custas e conquistam estes lugares, são heróis.

Vai daí nas férias cantámos muito o hino, que fica com nova versão:
"Heróis do mar"
"novre polvo"


Cá entre nós, no alto dos teus 4 anos, de medalha ao peito no sarau da ginástica do Boavista, também és a minha campeã e a minha medalha de ouro!




(Após cerimónia de encerramento e de regresso a casa, temos o Panda, Duck Tv, Baby First, Jim Jam, de volta em força.)

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Viagem ao futuro

"Quando fores muito, muito velhinha eu vou-te levar à escola e tu não podes chorar, porque vai correr tudo bem, está bem?"
De repente vi-me à porta do lar de terceira idade, sem a certeza de que ia correr tudo bem e até me deu um aperto no peito, não por mim, mas ao lembrar-me da pergunta habitual dela à porta do infantário "Tens a certeza?"