Lilypie Joana

Lilypie Kids Birthday tickers

Lilypie Diogo

Lilypie Third Birthday tickers

terça-feira, 30 de abril de 2013

Atravessado

Raismeparta se o miúdo agora não está atravessado... Era capaz de apostar bastante!
E empurra, empurra, aqui do lado direito!
Já dizia a Joana, a propósito da barriga ainda ir crescer mais:
"oh não a barriga da mamã vai explodir, não quero ver!" [e escondeu-se na cadeira] "Quando o mano nascer não quero ver, vou para casa da avó N.!"
É isto que sinto, que vou estourar.
É mesmo gajo, a dar que fazer ainda antes de ter nascido!

sábado, 27 de abril de 2013

Preocupações

Na noite crítica de vomitório, ao deitar a miúda na cama, a sua preocupação era que ainda não tinha "almoçado". Queria comer a toda a força, sobretudo a melancia que a avó N. pôs no frigorífico.
Concordou com umas bolachas (que não duraram muito na barriga...).

Prioridades

De notar que no meio do vomitório às prioridades da miúda foram:
1o estar toda suja
2o o Farrusco poder ter-se sujado
3o o sofá estar sujo

A mãe, vomitada  de alto a baixo, nunca foi referida.
Tal falta de sensibilidade pode ser motivada por eu estar sempre a dizer "tem calma, não faz mal".
Afinal de contas, mãe é mãe, e mais roupa para lavar, menos roupa, é bom saber que ela tem essa confiança.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

33 semanas - Consulta relâmpago e doentes

Nesta 2a feira as contracções aumentaram em número e intensidade, piorando ao final do dia.
Melhorei na 3a, mas à noite voltei a estar mesmo muito mal e muito assustada, a ver que não paravam, mesmo já deitada na cama. Na gravidez da Joana cheguei ao hospital para indução, às 40 semanas, sem sinais de trabalho de parto, no entanto tinha 4 dedos de dilatação, daí o pânico de já estar em pleno processo! Acabei por adormecer e a coisa acalmou.

Na 4a, logo de manhã estava a ligar para a minha GO, que me disse para passar no consultório para me examinar. Resultado: colo do útero mole, mas felizmente formado e sem alterações. No CTG nem uma contracção detectada, após várias na sala de espera... Repouso absoluto nestas próximas 3 semanas, fundamentais para o bebé não nascer prematuro. Este malandreco, que já estava de cabeça para baixo, resolveu dar outra volta e agora está para cima... Bem devia ter desconfiado pelos movimentos fininhos no fundo da barriga e pela ginástica intensiva que faz! Se não virar, cesariana...
A dra. diz que é provável que não mude. No entanto, já me habituei a que na gravidez e com os miúdos tudo é imprevisível, logo não vale a pena mentalizar-me para nada. Fiz isso com a Joana e acabou por nascer de parto normal e depressinha!
Outro motivo para o sofá-cama é que desde o dia 11 não aumentou o peso previsto. Não é preocupante, mas convém engordar mais!

Saí da consulta por um lado aliviada, por outro com uma neura do tamanho do mundo (com estes sintomas, o que é que eu estava à espera? Que me mandasse correr a maratona?). Pensei que era pior, já me via a ir de requitó para o parto ou a ser internada, por isso fiquei tranquila, mas tenho direito aos meus 5 minutos de frustração por estar neste estado e me sentir tão limitada para coisas tão básicas. Às hormonas também têm a sua culpa.

Como uma desgraça nunca vem só e "se vos queixais ainda levais mais", no dia da consulta o pai piorou do desarranjo intestinal que o chateia desde domingo e a Joana começou a vomitar à hora do jantar, logo a seguir a dizer à minha mãe "é a única que se safa". Deve ter sido uma gastroenterite apanhada graças aos vírus que andam pelo infantario.
Felizmente, após uns episódios de vómitos e diarreia e um dia sem energia, está melhor, estamos todos melhores...

Honras sejam feitas à família, sobretudo ao papá da casa e à minha mãe, que nos tratam com muito mimo e agilizam a logística da casa.

<Está  tudo bem, está  tudo bem.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Bons tratos

Já na cama, luz apagada:
"Os pais das filhas têm que tratar bem as filhas. Tratar bem é fazer o  que elas querem, aprendi na escola."
"Ahahahahahahah!"
"A sério!"

Grandes ensinamentos escolares, ou grande deturpação!

Good night moon

Ao fechar a persiana antes de se deitar, respeitando pela janela:
"Xau lua! Um dia vou escalar até ti.
Boa noite lua, boa noite estrelas."

domingo, 21 de abril de 2013

Para oportunista, oportunista e meio


No fim-de-semana anterior a mini alinhou os astros e não acordou a meio da noite. No entanto, no sábado quando acordou já de manhã e reparou que estava na sua cama armou um berreiro, porque queria ter dormido na nossa. Foi para lá um pouco, mas não ficou contente, não era isso que queria. Felicitei-a dizendo que se tinha portado como uma menina crescida, conforme a dra. Lurdes e nós lhe tínhamos pedido.

Ao ver que se podia aproveitar da situação, parou de imediato de chorar e concluíu: "portei-me bem, agora a dra. Lurdes tem que me dar uma prenda quando lá for da próxima vez!"
Ainda bem que não se lembrou a parte que éramos nós a dar e todos os dias!!!

Hoje ao fazer zapping encontrou o Disney Júnior (para mal dos nossos pecados, já bastavam as injecções de Panda e outros...). Ficou muito feliz, quase a uivar, surpreendida e perguntou quem pôs este canal.
"Foi o papá e a mamã, porque te portaste muito bem e dormiste a tua cama."
"A sério? E como é que conseguiram?"
"Ui custou muito dinheiro, agora tens que dormir na tua caminha."


Entretanto, após umas noites boas, voltou tudo ao (a)normal, ainda que com visitas mais tardias... Neste domingo, mal acendi a luz às 6h, ouvi o cavalito pelo corredor fora até ao quarto.
E a esta altura do campeonato, perdi a conta aos ocupantes: mãe, pai, filha, filho embutido, Farrusco, tartaruga de peluche para apoiar a barriga e outras almofadas para me levantarem e não ter falta de ar...
E são mãos na cara, pontapés nas costas e barriga (dentro e fora), encosta-se, ora a um, ora a outro (tem o hábito, desde bebé, de gostar de encostar o nariz). Esta noite dormiu deliberadamente comigo, porque o pai estava doente e mesmo com uma cama larga disponível, tive direito ao festival completo.

A culpa é nossa, eu sei, quanto mais não seja pela falta de tino para mudar de cama ou nos iludirmos que vamos dormir bem. Reza a história que, salvo raras excepções, lá para os 16  já não será assim...

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Aniversário 16.Abril


O meu dia começou tal como o da minha mãe há 34 anos. Tinha contracções, tinha falta de ar, fiquei muito assustada. Às 6h estava a tomar 2 doses de magnésio e deitei-me no sofá, com várias almofadas para ficar levantada e respirar melhor e rezei, rezei muito para aquilo acalmar e o Diogo não resolver mesmo nascer.
De manhã sentia-me cansada e tonta, mas melhor. Continuei assustada.

No ano passado estive sozinha durante o dia, mas distraída com os preparativos. Pensei que desta era sozinha, preocupada e quiçá no hospital. Eis se não quando o meu mano querido me propõe vir almoçar comigo em casa ou fora (not). Acabou por fazer o almoço cá em casa com a namorada e passaram a tarde comigo. Soube tão bem!
Entretanto chegou a Joana muito contente pelo desenho que me trazia e a agitação de entra e sai.
O meu estado foi acalmando, ainda que com contracções e mais rugas de preocupação.
Foi a família que tratou de tudo para o jantarinho com avós e manos, eu apenas coordenei. ;) Souberam bem tantos mimos, apesar de ser estranho não mexer uma palha!

Já não ligo muito a fazer anos, ou melhor, a festa. Concordo que é um bom pretexto para reunir a família e nesse aspecto recebi tudo o que queria.

Aqui há dias o marido perguntou o que queria nos anos. Ai pode ser o que eu quiser? Sim, se nos sair o euromilhões, pode. Isso já me saiu marido, duas vezes.
É engraçado que em Fevereiro mudei de loja e passei a trabalhar na mesma rua  em que fiz estágio da formação em qualidade, há precisamente 10 anos. Entretanto essa empresa, sinal dos tempos, despediu trabalhadores e mudou de instalações. A minha vida também mudou muito e há 10 anos era impensável imaginar este percurso e ter o trabalho actual.
No entanto, fiz fortuna: criei uma família e tenho dois filhos. E isso, não troco por nada, é a sorte com que sempre sonhei e bem melhor do que imaginava.






segunda-feira, 15 de abril de 2013

Pediatra

No dia da minha consulta aproveitámos para levar a Joana à de rotina na pediatra, que é no mesmo consultório. Com ela está tudo bem, peso, altura (ambos entre o percentil 25 e 50) e desenvolvimento. A dra. Lurdes foi, como sempre, muito doce e conduziu a consulta toda fazendo perguntas directamente à Joana, que fez as suas delícias com as respostas. Examinou-a e a mini portou-se como uma menina crescida.
 
Falámos sobre os progressos no infantário e em casa em termos de conquista de serenidade e segurança, as poucas doenças que teve neste ano e os pequenos problemas como a coceirinha que a faz perguntar "Posso coçar o rabo?" ;).
Fizemos "queixa" do roer as unhas, para que lhe explicasse também como faz mal e da fase que atravessa de vir a meio da noite para a nossa cama.
Estes dois pontos tentou a dra. convencê-la a não fazer, no entanto os argumentos da mini, mais a carinha de gato do Shrek, bateram todas as teorias da dra., inclusivé a de nós darmos uma prenda todos os dias em que não fosse para a nossa cama (huum esta parte parecia-me dispendiosa). Acabou por dizer para se esforçar, mas de vez em quando não fazia mal...
 
Só não trouxe a etiqueta de bom comportamento, porque armou um berreiro, achando que o autocolante ia sujar a camisola, numa mistura entre "estou irritada com o sermão da dra." e "vou deixar os meus pais ficarem mal e chorar por birra".
 
 

31 semanas - Consulta


As contracções têm tido altos e baixos, sem razão nenhuma em especial.
Na 3ª feira passada, ao final do dia apanhei um susto valente porque se tornaram frequentes o que podia indiciar o parto... Melhorei, mas na 4ª estava à rasca de novo... Tenho-me tentado manter despreocupada, mas à noite deu-me mesmo uma crise de choro. Já imaginava que estava com dilatação ou que o bebé não estivesse bem, já que lhe deu para estar sossegado a essa hora... Não tivesse consulta marcada para 5ª, teria mesmo ido ao hospital...

Felizmente está tudo bem, ou melhor, nada está pior. Sem dilatação, o colo do útero sem alterações e líquido amniótico normal, o Diogo óptimo, peso estimado 1705 gr e medidas de acordo com o tempo de gestação. Quanto às contracções, é para manter o repouso e evitar todos os esforços, que foi a receita com que já me tinha medicado: cama e sofá, praticamente. Além disso, 2 carteiras de magnésio para as crises.
Fiquei tão, mas tão aliviada e contente, por ser "só" isto!
Vou fazer um electrocardiograma por causa da falta de ar de manhã. Será só para ficar mais descansada, porque em princípio é causada pela compressão do diafragma.

Custam muito estas limitações, querer fazer as coisas e não poder, mas é para um bem maior. Neste momento, a missão é esta, a ver se o puto se aguenta mais um bocado.
Por outro lado tenho recebido muito mimos e a ajuda da família. Por exemplo, a avó N. tem ido todos os dias levar a mini à escola (eu fico na janela a dizer xau, cheia de pena de não ser eu). O pai tem sido 5*, a Joana muito compreensiva e quer sempre ajudar.
Há que aproveitar, quando nascer o bebé, desviam-se as atenções! ;)


sábado, 13 de abril de 2013

Questões pérolas - algumas mal cheirosas

Questões científicas no wc:
"- Porque é que as pessoas não conseguem ver os puns?"
Efectivamente como diria a prima M., já incomodam o suficiente sem os vermos

Questões técnicas no WC: "Mamã, fiz ikeia?"
Ok, há quem ache que os móveis de lá são uma m*rd*, mas não, não fizeste diarreia.


Questões existenciais:
"Os animais também fazem anos?"
"Sim"
"Então porque é que eles não sopram as velas?"
Boa pergunta.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Mimos para a mãe grávida #4


Casos da vida e medicina preventiva:

"Mamã, tu não podes beber vinho, se não [claramente confusa] o teu, o meu, o teu, o meu, [pausa] o teu, o meu bebé e do papá morre!"
"A mãe da A. do [infantário] A.B. tinha um bebé na barriga e bebeu vinho e o bebé morreu!"


Pela manhã, de saída para a escola, assim do nada:
"Mamã estou pronta para chegar o mano!"
"O que é que isso quer dizer?"
"Eu adorava vê-lo!"

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Tola


"Sinto-me um bocado inútil." - diz a tola que carrega e cuida de um bebé no ventre, apenas por estar remetida para o repouso.

Haverá missão mais bonita, nobre e útil, sua tola?

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Mimos para a mãe grávida #3


Este não sei bem se é um mimo ou um sentido de responsabilidade apurado ou um descartar da mãe.
"Quando for grande vou ser mãe do Diogo e veterinária."

Desde que não seja pressentimento, tudo bem.

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Balanço da Páscoa: +1


Mais um priminho a caminho!
Podia lá o Coelhinho ter trazido algo melhor?!?
Filha do primo T. e da X., ao que indica a eco, será uma menina.
Maravilha! Casa cheia nos próximos festejos!


A reacção da Joana, muito alto, ao fundo da sala, ao perceber o motivo da algazarra:
"Quem é que pôs a sementinha?!?"

E agora retomou o "Eu nunca vou pôr uma sementinha, não quero que o doutor corte a minha barriga!" e amua, quase a chorar, de cara para o lado e braços cruzados. Mulher sofre, mesmo.