Lilypie Joana

Lilypie Kids Birthday tickers

Lilypie Diogo

Lilypie Third Birthday tickers

sábado, 29 de dezembro de 2012

Varinha mágica


À hora de sair de casa, vai arrumar a varinha mágica:
"Com esta varinha vou transformar-te para seres bonzinha Plinc!"
"Anda lááá despaaaacha-te!"
"Plinc transformei-te outra vez, não te podes zangar!"
Grrrrr sou bruxa má, nada a fazer... mãe sofre...

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Um Natal Original


A festa de Natal da Joana na 6ª feira, com o tema "Um Natal Original", foi qualquer coisa de mágica e deliciosa. Estavam todos lindos, vestidos de bonecos de neve, num musical que conta a história de uma família que aguarda a chegada dos restantes membros para o Natal, preparam a Consoada e convivem, lembrando que:
"Mas atenção, que no Natal,
- diz o pai de braços no ar,
o importante não são as prendas,
mas a família unida a festejar!"

Estavam todos perfeitos, os pequenotes com a graça dos enganos e os mais velhos, 4 anos, que já sabem bem as sequências do teatro. A Joana, não é por ser minha filha, mas por adorar cantar e dançar, participou activamente e estava com uma alegria contagiante, que enche este coração de mãe. Muito feliz por nos ter lá e por ser dia de festa.
São estes momentos que me fazem ser criança de novo e viver o Natal de forma especial.

No final houve prenda para os pais feita por eles, uma caixa com 2 bolas pintadas para pormos na árvore. Apareceu também o Pai Natal, que os fez arregalar os olhos com os presentes.


quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

It´s a Boy!

Passagem rápida hoje à hora do almoço no consultório da minha querida obstetra, para um imediato é um menino!
Continua tudo bem, cheio de energia e um coração pum-pum-pum. Como o meu!

Adoramos a nossa menina, não me importava nada de ter outra, apenas gostava muito de experimentar as emoções de um rapagão ;)
Na família têm nascido muito mais meninas, até se brincava que na geração do pai não se produziam cromossomas Y. Agora vem o Diogo para brincar com o baby Tomás.

E lá vamos explicar à Joana as vantagens de ter um mano e como será importante ele ter uma mana mais velha... ;)

É a vida

A mini queria pintar "guardanapos" à hora do jantar, qualquer trabalho novo que aprendeu na escola. Expliquei-lhe que podia fazer depois, mas reclamou que depois ia dormir. Para despachar disse que então fazia no dia seguinte. Responde cheia de revolta:
"Mas amanhã vou acordar cheia de sono e ver desenhos animados e depois vou para a escola!"
"Pronto, depois quando vieres da escola."
"Mas depois vou dormir! É só escola, dormir, escola, dormir, escola, dormir!"
"Olha minha filha, é a vida!"

[e quando chegares da escola não te ponhas a estupidificar em frente à TV para na hora de dormir te lembrares das coisas que querias mesmo fazer, como os adultos]

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

As poupanças

Por cá sempre incutimos na Joana que não podemos estar sempre a gastar dinheiro e não podemos comprar tudo o que queremos. Se for connosco ao supermercado sabe que só pode comprar um tipo de iogurtes [dos caríssimos especiais de corrida] e não vários, pois temos que comprar arroz e outras coisas; que se formos ao cinema não vamos colocar moeda nas diversões, etc. Por vezes pede-nos brinquedos ou outras ofertas e perguntamos se tem dinheiro no porquinho. Se dissermos que custa 15€ e o porquinho vai ficar vazio já nem quer... Faz questão de o encher, moeda a moeda, com as que apanha em casa ou as que traz bem apertadinha na mão desde o carrinho até casa e vai directa ao quarto, sobe ao banco para arrumar no porquinho. Sovina!

Por outro lado, quando foi o Dia do Pijama, campanha de sensibilização para a importância de crescer numa família, com recolha de fundos, andou a pedir a todos da família para porem moeda na casinha e ajudarem os meninos e as moedas do carrinho também tiveram este destino.

Assim tornou-se mais consciente de que as coisas custam a comprar e só trabalhando conseguimos ganhar dinheiro. Quando brinco que não me apetece trabalhar, tal como ela fazia com a escola, promete-me, tal como eu fazia "que logo já vamos estar juntinhas" e lembra-me "tens que ganhar dinheirinho!"
E já me recomendou "Tens que comprar coisas grátis, que é para não gastares dinheiro" - à conta das publicidades do Panda.

Neste sábado fomos jantar fora com ela, que adora, e o pai perguntou se tinha dinheiro para pagar o jantar. "Quanto custa?", "5 €" respondemos. Foi buscar o porco e queria levá-lo para o restaurante! Quando dissemos que desta vez pagávamos nós, responde com pena: "Mas eu queria ajudar-vos..." 
"Deixa lá fica para quando não tivermos dinheiro."
Vai crescendo e enche-me o coração.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Mimos... para os pais



No sábado passado, após uma bela tarde no cinema a ver O Segredo dos Guardiões (recomendo*) e de brincadeira com os amigos R. e I., jantámos em casa e ficámos a "sofazar".
Cansada comentei com a Joana, "agora podias deitar-me na caminha e contar-me uma história".
Ela olhou para mim e comentou "Está bem, deixa-me só acabar os meus trabalhos, que vou por-vos a fazer xixi, deitar na cama, dar-vos leite e estrelinhas e contar uma história. Mas depois vocês têm que fazer igual!
Levou a sério e aplicou-se! Depois de me ajudar a vestir o pijama foi preparar o leite, tive que mandar lá o pai a correr, porque já ouvia a porta do frigorífico.
Lá veio contente com a caneca e taça (para nós a para ela) e cumpriu o prometido, muito compenetrada e contente.
Apagámos a luz e dormimos os três quentinhos (demais e apertados).

Desisti (novamente) da ideia da televisão no quarto. Depois da que explodiu há uns 3 anos (literalmente) não comprámos outra e pensámos ai e tal é inverno e sabe bem ver TV na cama e vem um baby que dá jeito amamentar no quarto.
Mas não, miminho faz muito melhor à saúde.

Ainda me perguntam como tive coragem [na perspectiva financeira e de futuro] para um 2º filho...
Para mim é a coisa mais natural do mundo.
É preciso é coragem para desistir dos sonhos.



(* tem que haver qualquer coisa de hormonal para ficar (eu) de lágrimas no olhos com este filme)

A sério, de novo

Quanto mede 1 m na China? É sistema internacional, inglês ou próprio?
E 4 m é 4 x 1 m, ou não?

A nossa árvore não é assim tão gorda...

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

A sério...

... como é que a 03.Dezembro esgotaram os artigos de Natal no Continente?

Fizemos a árvore de Natal no domingo e antes de pôr a iluminação vi que não funcionava (se fosse depois julgo que a árvore ia ganhar asas).
E lá ficou assim pálida, até hoje ter conseguido a salvação no deBorla (ei quase 13€!).




segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

13

 02.12.2012

O que leva duas pessoas a dançarem o "She" do Elvis Costello no fecho do Indústria?
Passados 13 anos e o efeito do álcool só pode ser Amor.
Parabéns para nós!
Love You!

domingo, 2 de dezembro de 2012

6 cm de gente


Na sexta-feira nova ecografia, quase 13 semanas. Vimos um lindo e pequenino bebé com 6 cm, muito perfeito. Tudo no lugar e não falta nada. E cheio de energia. Estive novamente perante o milagre da vida, ali numa tela a preto e branco. Fantástico.

A expectativa era grande com um pouco de ansiedade desde o dia anterior. Na 1ª eco não se distinguia nada e fica-se a pensar mais coisa, menos coisa "o que é que vai sair dali".
É incrível a diferença de sensações entre um filho e outro. Por um lado não há tanta surpresa, é tudo mais normal (como se trazer um filho dentro de nós o pudesse ser!), mas confesso que me preocupei mais se estaria tudo bem (ainda que não me demorasse muito tempo nisso). *
Da primeira vez, ainda que se saiba das dificuldades, é como quem vai ao engano do perfeito e maravilhoso, ainda não se viveu. E eu sabia, porque sabia que ia correr bem!
Agora, ainda que me mantenha positiva, estou consciente e sei bem o que há a perder, que não sou mais nem menos que ninguém.
Vá, mas depois do que vi e senti hoje, só pode correr bem!

A médica, após muito procurar, suspeita que seja um menino. Ficámos muito felizes! Só há uma menina que não vai ficar lá muito...
Continua muito carinhosa com o bebé.

A gravidez tem corrido bem, também muito diferente da 1ª.
Andei  enjoada 2 semanitas, nada de chegar ao gregório, mas com um nó na barriga. A médica recomendou que comesse, já que o problema está essencialmente associado à hipoglicémia. E melhorou, é facto. Agora olho para a comida e não me apetece. Comidas com molhos, cheiros fortes, não consigo. Não tenho propriamente desejos, mas apetece-me comida caseirinha e coisas específicas de repente: laranjas, queijo com marmelada, pão fresco, arroz de nabiças, azeitonas, mc donalds (não me perguntem como não me enjoa...). Tenho preferência por preferir algo que tenha em casa, que isso de sair fora de horas não dá...
Sono, muito sono, felizmente só à noite e ao acordar (e ao domingo se comer muito em casa da minha mãe).
Prisão de ventre, sim. Com a Joana foi só mais para o fim.
Azia, nickles, o que agradeço.
Mamocas doem que se farta, tem sido dureza literalmente. Costas idem, dispensava.
Ou me deu para a esquisitice, ou quero tudo o que tenho direito, ou é da idade (ou é um mix).

Ah e engordei 3 kg em 1 mês, vá lá que voltei apenas ao meu peso normal, mas é melhor refrear...


Eco 13 sem


(* e a razão principal era já termos contado à Joana)

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Nadando


Na natação a miúda atira-se para a piscina e mergulha, quer de cabeça (joelhos), quer de pé. Ela bem dizia que o fazia, com explicações da técnica, mas nem queríamos acreditar, pensávamos que era aquele mergulho-salto-para-a-água e que estava inventar (está numa fase de imaginação fértil). Realmente a educadora, que vai sempre com a turma, já tinha falado nos progressos, mas nem nos ocorreu confirmar, tão impossível parecia. Na banheira é verdade que punha a cara na água e soprava.

No início de Outubro, quando começou a natação, incomodava-a o chapinar com água a saltar para os olhos (ainda que Algarve, distraída, não se importasse... assim é a minha filha...) e agora está uma pró a nadar de um lado ao outro da piscina, com a placa, de costas e de bruços e a mergulhar, como comprovou orgulhosamente o pai.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

F*da-se

F*da-se. F*oda-se. F*da-se!

Pese embora o post anterior e o mundo esteja mesmo melhor, de manhã foi o que passou aqui no "rodapé". A neura de domingo à noite já foi acentuada, 2ª feira prometia e foi assim que acordei. E lembrei-me de um amigo que, segundo a mulher, todos os dias, desde que toca o despertador até sair de casa, não dizia outra coisa. Um f*da-se resignado perante o inevitável.

O meu acordar é péssimo e não consigo praticamente falar. Totalmente off.


O mundo tornou-se um lugar melhor


Nasceu no dia 23 a Leonor e o Tomás.
Gémeos, filhos da minha prima S. e do P.. Pequeninos, mas muito perfeitinhos, lindos, pelo que vi nas fotos, já que nasceram às 35 semanas e foram para a incubadora.

A minha felicidade é infinita.

domingo, 11 de novembro de 2012

Agora o meu mundo tem 1 metro e 7 mm


Oooops we did it again! ;)

É verdade, estou grávida! No dia 22-Out fiz a ecografia, uma pequena ervilhinha com 7 mm e um mini-coração a 128 BPM cresce na minha barriga!
A data prevista para nascer é 13 de Junho, terá que ser António.... nãããã Inês ou Diogo, que são os nomes pendentes desde a Joana.

Agora estou com 10 semanas e o bebé já deve ter 3 cm, como cresceu!

Estamos muito felizes, já queríamos este bebé há muito tempo e agora está-me a acontecer tudo ao mesmo tempo. Talvez estivesse destinado a ser assim, ou uma coisa levou às outras...

A Joana ficou muito feliz quando lhe contámos, pedia-nos muito um mano. Ficou com um sorriso de orelha a orelha, embora tenha achado uma coisa muito natural. Fez beicinho ao dizer que queria uma menina, mas sabe que tem que esperar. Perguntou quando é que o pai pôs a sementinha na barriga da mamã (com um ar de "como é que perdi essa parte?") e seguiu a vida dela.
Agora conta a toda a gente (a quem deve e não lol) que a mãe está grrrávida e que vai ter um mano. Faz-me festas na barriga e dá muitos beijinhos. Diz que vai tomar conta dele, dar-lhe miminhos e dormir abraçadinha com ele. (Para) Já defende o mano com unhas e dentes quando a provocam! Diz que quando nascer "não pode ir à escola tadinho!"


E cá vamos nós novamente na maior e mais magnífica aventura do mundo!



Ecografia às 7 semanas

sábado, 10 de novembro de 2012

4.5

A Joana fez ontem, dia 9, 4.5 anos.
As time goes by...
(e eu sem time para novidades até entregar o relatório de estágio. É só fans a pedir o meu regresso.)

domingo, 21 de outubro de 2012

Promessas, promessas

"Quando for grande não vou tirar a carta de condução!"
"Quando for grande não vou ir à discoteca! É muito barulho e eu não gosto!"
"Quando for grande não vou beber vinho!"
"Quando for grande não vou arranjar um namorado!" [insiste em dividir o pai comigo]

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Pérolas - edição ilimitada

Prevê-se que seja ilimitada, tal é a rapidez com que surgem. Quanto mais cresce mais piada tem o raio da miúda (e inteligência e disparate também, não necessariamente por esta ordem). Por isso fica aqui um best-off:
"Falta muito para o Natal?" - perguntou
"Porquê?"
"Porque eu queria uma Playstation. (pausa)
"Mas os meus amigos dizem, aaaaah e taaaal Playstation é para meninos!"
Vida difícil!

"Os sapatinhos de cristal são muito brilhantes para o príncipe ficar "complamente" apaixonado."

"A J.R. Mordeu-me e até fez um círculo de dentes!"
Bastante explícito.

Perante o convite das primas da minha mãe para ir ao Brasil, responde com tristeza: "Mas eu não tenho dinheiro para o bilhete de avião para o Brasil..." - Problema transversal!

"A M. disse que eu não gosto do facebook mas eu gosto."
"E o que é isso?" - pergunto
"É onde a M. costuma de ir."

Nas férias ao trocar os números todos das mesas do bar, com uma super-amiga deliciosa que arranjou (também Joana, entendiam-se mesmo quando se desentendiam):
"Mamã, fizemos asneiras tens que nos pôr pimenta na língua." - as duas expectantes e olhar compenetrado.
(Tinha-lhe dito que os meninos quando diziam asneiras mereciam pimenta na língua.)

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Adivinhas à moda da Joana

"Hoje na escola fizemos um ouriço que é um animal do outono. Os bebés fizeram com massa e nós sabes com quê?"
"Não."
"Tens que adivinhar. É uma coisa comprida e que pica."
"Arroz?"
"Não, é uma coisa que tu me costumas chamar."
"Amor?!?"
"Não, por ser muito crescida."
"?!!?"
"Começa por P"
"Huuuum..."
"Pa-pa..."
"Paaa..."
"Pa-li-ta! Palitos!"
Esta é a melhor de sempre, são muitas as que inventa.
Palita é mesmo por ter crescido, mas mais por ter ficado "fininha"!

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Um dia

Um dia a miúda vai entrar na escola sem olhar para trás.
Hoje foi o dia.
[Foi estranha a sensação, mas fiquei feliz. Foi o 1o dia de natação e estava muito feliz.]

sábado, 22 de setembro de 2012

17 Setembro - Neste Dia


Neste vídeo falta claramente um grande evento, no ano de 2005 - entre a Inquisição e a Guilhotina prefiro o meu casamento. Podia ter sido festejado no (antigo) Palácio de Cristal, não me importava.

Como prenda no dia seguinte (já no corrente ano) a Joana caíu no infantário ao correr para o almoço e ficou com um galo gigante. Como também teve febre foi direitinha para o hospital. Felizmente estava tudo no sítio (excepto o juízo). Foi só mesmo para verificar se o coração dos pais batia para além do amor que os une.

http://videos.sapo.pt/j5DQay6WHPMT5efaimb7

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Outros progressos

"De repente" e quando quis, a miúda deixou de pegar no lápis "como enxada" e começou a pegar direitinho. Com explicações, exemplos e lutas, minha e da educadora, não foi lá e reclamava sempre que não conseguia.
Pega como se nada fosse, toda orgulhosa e capaz de pintar e definir bem o traço "nas actividades".
Já devia saber ia ser assim, tal como foi na chupeta, na fralda e em tudo o que é suposto os miúdos deixarem, quando lhe apeteceu.
Na verdade acho que os "empurrões" os instigam, mas a decisão final é deles.
Já não arranca (esfola) as unhas.
Já não tira peles dos lábios.
Ao chegar à escola já não agarra a minha mão como se eu fosse fugir para sempre. Aliás não me dá sequer a mão.
A educadora contou que ao pintar diz que vai continuar mais um pouco, mesmo quando se farta.
Na 4a feira foi a "responsável" da sala.
A minha filha é muito à frente!
(desculpem lá os pingos de baba aqui e ali)


(ok dava jeito conseguir pôr a foto direita...)

sábado, 8 de setembro de 2012

A minha caixinha

A caixinha abriu-se com uma boa surpresa: a Joana retomou o infantário na 4a feira completamente tranquila e com a ideia "encaixada". Notava-se que não era o que mais lhe apetecia fazer, refilou com sono, mas foi com naturalidade e fez apenas algumas perguntas. Não chorou uma única vez nestes dias e lá tem tido uma atitude positiva sempre. Está muito orgulhosa da sala nova, a das Joaninhas, e por já ser mais crescida, que até já vai para a natação.
Estou tremendamente feliz! Não sou (já) ingénua a ponto de pensar que vai sempre assim, mas é uma vitória e há que festejar o que é bom.
"Quem muda Deus ajuda". Pode é demorar.

(depois do almoço apresentou-se para dormir na sala dos 3 anos... e aí deve ter sentido pena de não ser pequenina... pelo menos eu senti)

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Palavra de honra

Cortar pela 4a vez o cordão umbilical é pior do que cortar a 1a. Não há nada que me faça habituar.

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Espantalhanço

A miúda, sendo muito observadora, distrai-se ao olhar "para ontem" corre a olhar para trás, anda de bicicleta a olhar para o lado e nem sei como até agora nunca lhe aconteceu nada de mais.
Desta vez, às corridas com um amigo vizinho foi directa, literalmente, à coluna da garagem de bicicleta, que virou, espetando com ela no chão. Quando lhe perguntei o que aconteceu, respondeu entre lágrimas gordas: "não virei!" Ah bom, mais descansada. Ainda bem que aprendeu a travar.
Vá, só um dedo trilhado e um certo orgulho meu, já que o choro foi mais pelo susto (do grito que dei) e lá conseguiu dizer "posso andar mais um bocadinho?"
Podes, põe o capacete que os bocadinhos prometem.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Crescendo

A Joana sempre gostou de companhia para adormecer. Foi-se habituando, porque em pequenita era tão resistente ao sono que era quase preciso segurá-la para sossegar.
Com a cama nova conseguimos convence-la a adormecer quase sempre lá.
Ultimamente tem tentado ser ainda mais crescida:
"Mamã à meia-noite vais embora?" [qual Cinderela]
"Porquê?"
"Para dormir sozinha."
"Ok, mas posso ir agora."
"Não, só à meia-noite."
À 1a saída do quarto descolei-a da cabeceira:
"Posso ficar aqui na madeira, eu gosto, eu não me magoo." [hábito de bebé e que eu também tinha]
"Posso deitar-me na tua barriguinha? Podemos ir para a tua cama?" - falso alarme, não foi desta!
Entretanto, disse em vários dias para irmos embora quando adormecesse.
Na 2a feira disse que queria ficar sozinha e depois do leite e do pai ter contado a história, ficou. Ficámos a ver quantos minutos demorava a levantar-se, mas não. Adormeceu e tem sido assim.

Noto-a mais autónoma em algumas situações, numas coisas resultado da escola, noutras progresso neste mês.
Nas férias também deu para perceber que há comportamentos e sensibilidade que não são consequência da escolinha, mas tornaram-se características da personalidade (ainda que a escola possa potenciar). Mantiveram-se neste período e embora signifique que temos que lidar com isso "a tempo inteiro", fiquei de certa forma contente, já que a escolinha é a "vida real".

A ver vamos como corre o regresso. Às vezes há nós que se resolvem sozinhos e não por pensarmos muito neles. Além disso, com os miúdos tudo é possível, são uma caixinha de surpresas! Nesta nova fase que se aproxima para mim (retoma profissional) dava um jeitaço uma das boas!

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Recordar

Quando me preparava para um belo post sobre as férias (que começava com algo como "Com esta bela chuva de Agosto, sabe bem recordar bons momentos") brindado com fotos, eis que o meu portátil, kaput, o ecrã foi-se de vez, após veementes ameaças #*+# - para arranjar um computador nunca é boa altura, todos sabemos. Terei que recordar mais tarde, que nunca é tarde para viver.
Fica a garantia: houve sol, calor, praia, mar, diversão, família, relax, birras e confusões (agora era a parte em que riscava estas duas palavras, mas que a aplicação android não permite)

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Olimpíadas


Nestas férias, graças aos Jogos Olímpicos, tivemos também férias do canal Panda e afins. Nas horas em que estávamos em casa, a miúda colava no canal 2 ou Eurosport (e quando não estava nestes pedia). Tornou-se fã de várias (todas!) modalidades, saltos para a água, vela, ténis de mesa, atletismo, hipismo, sendo a ginástica, sem dúvida, a preferida. Na praia recriou o salto em comprimento, prova de obstáculos de hipismo e claro, muitas rodas, pontes e saltos.

E claro, tal como muitos portugueses, incluindo dirigentes, ignorando as dificuldades por que passam os nossos atletas para treinar e competir, queria que Portugal ganhasse sempre, de preferência a medalha de ouro, com direito a hino e tivesse atletas em todas as provas.

Como a ela, apesar de tudo, (ainda) é mais difícil de justificar porque é que não pode ser, perante a impaciência de "Portugal está a ganhar? Portugal é o maior!", "E vai cantar o hino?", "Porque é que ficou em 2º? O 2º canta o hino?", "Porque é que não ganhou medalha de ouro?", íamos dizendo que sim, Portugal está a ganhar, ou que o 2º é bom, ou avançando que somos um país pequeno, com poucos atletas, por isso já é bom o 6º ou 8º, o importante é participar, ainda que sem hino, que até o podíamos cantar nós. E às vezes triste, lá se foi (às vezes) conformando, porque convém que desde pequenos nos habituemos que o país é pequeno de tamanho e de cabeça (pelo menos de quem nos governa).
E também não te estavamos a enganar minha filha, porque sim, estes atletas, que treinam após o trabalho e às suas custas e conquistam estes lugares, são heróis.

Vai daí nas férias cantámos muito o hino, que fica com nova versão:
"Heróis do mar"
"novre polvo"


Cá entre nós, no alto dos teus 4 anos, de medalha ao peito no sarau da ginástica do Boavista, também és a minha campeã e a minha medalha de ouro!




(Após cerimónia de encerramento e de regresso a casa, temos o Panda, Duck Tv, Baby First, Jim Jam, de volta em força.)

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Viagem ao futuro

"Quando fores muito, muito velhinha eu vou-te levar à escola e tu não podes chorar, porque vai correr tudo bem, está bem?"
De repente vi-me à porta do lar de terceira idade, sem a certeza de que ia correr tudo bem e até me deu um aperto no peito, não por mim, mas ao lembrar-me da pergunta habitual dela à porta do infantário "Tens a certeza?"

terça-feira, 31 de julho de 2012

Assim ou com mais molho, vale tudo

"A banheira está a ficar encha"
"Vou ver a minha medura" - na régua da parede
"A professora Pitcher" - Pitcher passou a nome próprio da teacher de inglês

sábado, 28 de julho de 2012

Calmaria*




* Para ouvir com o volume no máximo!

Já começou

Há quem diga que até foi tarde. Eu acho muito cedo.
Gostei apenas da parte de querer experimentar algo novo. Há tempos nem pensar em pintar as unhas. Viva a persuasão da prima C. .
Também gostei de querer tirar. :)
Nota-se que ainda está indecisa em ser como a mãe e a avó N. e sair de casa de "cara lavada" ou como a tia C. e a bisavó M. e não sair sem a sua pintura. ;)


quinta-feira, 26 de julho de 2012

Já agora

Também queria férias desta vida parva em que transformei a minha, que nem é carne nem é peixe, nem trabalho, nem sou dona de casa, sou mais o não ser do que o simples ser. O que sou resume-se à condição e isso não me agrada nada.
E começo a perceber Shakespeare como gente grande.
Se não for pedir muito, férias do grande ponto de interrogação, please.

Algo parecido com férias

O pai da casa entrou ontem de férias, a miúda está em casa desde o fim da praia com o infantário - resolvemos dar-lhe férias grandes, já que as actividades lectivas tinham acabado. E eu só queria umas férias desta missão de educar, mandar, explicar, contrariar, ralhar. Pensei que o eliminar das situações de ansiedade criadas pelo contexto escola trariam paz e descontracção, estava mesmo a precisar. Trouxeram uma mimalhice pegada, choro por tudo e por nada, sem mais nem menos, por pequenas contrariedades, por todas as vontades não serem feitas todas ao mesmo tempo e hora e à medida que se vão alterando. Com direito a chantagem emocional, como se fosse a mais infeliz das criaturas. Uma vez por dia temos "cena".
É que assim, sem motivo, não tenho mesmo paciência. Falham as teorias, as explicações, a psicologia, tudo. Já nem sei o que é "normal para a idade" ou não. Nem se a culpa é minha ou do que é, se é tudo normal ou sou eu que já não vejo. Nem sei bem como agir. E eu estou cansada. É algo parecido com férias, sem férias e sem perspectivas de as ter.

domingo, 22 de julho de 2012

Sensibilidade

"Ooooh ele gosta dele. Faz-me ficar com os olhinhos molhados..." - quando o Manfred da Idade do Gelo, após ver as pinturas da sua família na caverna, se recorda da cena em que foi atacada pelos humanos e abraça com a tromba o bebé perdido.

E no mesmo filme "Estou a ficar com os olhos molhadinhos, porque o bebé não encontrou a mãe... quem me dera que ele encontrasse agora a mãe"- quando desaparece no rio, depois de entregar o bebé ao Sid e ao Manfred.

Também eu fico!

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Sortinha

No mesmo dia que recebo resposta negativa de um processo de recrutamento, o marido dá de novo um jeito às costas que mal o deixa andar, com direito a hospital.
A juntar à festa a miúda na brincadeira com a R. [acrobacias disparatadas diga-se...] foi de cabeça directa ao chão, que até se ouviu pela casa e ficou com um sr. galo.
Ainda falam de 6a feira 13...

terça-feira, 17 de julho de 2012

Férias de Junho

Nas férias do pai no final de Junho, fomos passear até ao Alentejo com o objectivo de irmos ao Badoca Park, à custa do nosso querido banco. Aproveitámos para passear um pouco pela região, com o bónus de irmos ao Algarve 2 dias visitar um casal de amigos que por lá estava.
Foram dias muito bons, estava mesmo a precisar desanuviar da rotina (por vezes muito parva) e descansar do infantário (sim, eu mesma ;) )

Praias: a de Melides é muito bonita, uma calmaria. É preciso ter atenção ao mar, bravíssimo! S. Torpes, horrível! Se alguém num hotel vos recomendar, é dar-lhe um murro nos olhos. Fica perto da zona industrial e porto de Sines e a vista é essa. A areia é preta de petróleo, com direito a comentários da Joana "tenho sujeira nos pés" e "limpar esta porcaria". Fazer tantos km para vir para Leça cá do sítio, tá queto! Ah, indicaram-nos pelo mar ser calmo e mais quente (à custa de serem águas de arrefecimento de uma central). Só falta mesmo dar choques a praia nacional dos Simpsons.

Para registo fica a total falta de medo da Joana da água e de frio também. Bate o pedal pela piscina toda com a sua bóia e quando dizemos para voltar, que já não tem pé, 1º ignora, 2º diz-nos que sabe nadar - no fundo julga-se Nemo e a nós o Marlin - ora toda a gente sabe que o Nemo foi pescado por desobedecer...





Quanto ao Badoca, está um parque engraçado, com um novo conceito de animais em semi-liberdade e com o safari pelo meio do parque para ver os animais. Pela 1ª vez a Joana não perguntou "porque é que os animais estão presos?".

Não gostámos do pico de calor que ficou reservado para nós: 38ºC (nos dias "adjacentes" à estadia os termómetros andaram mais calmos...). Às 16h30 já estávamos de saída, directos à piscina. E bem é capaz de ter feito ppfffzzz ao mergulhar!
Ah também não apreciámos muito: no site dizerem que o safari (tema central) era de 1h e ter sido apenas 1/2 hora... shame on you Badoca!; o preço do restaurante: 13€ o buffett sem bebidas e sobremesa - optámos para descansar do calor, que até à sombra o ar queimava; as instalações dos macacos e sobretudo dos tigres enjaulados num espaço pequeno, totalmente fora do conceito de habitat natural.
Gostámos de uma forma geral, no entanto não achei nada de extraordinário, não ia lá de novo de propósito. Valeu pela alegria da Joana!





segunda-feira, 16 de julho de 2012

Cereja no topo do bolo


No domingo:
"Mamã, vais às aulas?"
"Não vou convosco a C. Paiva, porquê?"
"Eu queria que fosses às aulas."

Sem ressentimentos, tá miúda? Jogaste pesado! Lancei a manilha e tu o ás.
Onde está aquela mão que não larga a minha à porta da escolinha?
Não estou preparada para ser expulsa do ninho, nem os lémures escorraçam as mães!!!
Ó adolescência, serás tramada.

domingo, 15 de julho de 2012

Eu mereço

Estremunhada à meia-noite com qualquer sonho, levo-a para a minha cama. Depois de chorar de 5 em 5 minutos, ainda confusa, a querer acordar, em que tentei acalmá-la com palavras doces e mimos, passo ao pragmatismo da necessidade de dormir. Chora como se fosse o fim do mundo:
"O que queres?!"
"Quero que não sejas chata para mim"
"Só quero dormir, acho que não sou eu que estou a chatear-te."
"Quero ficar com o papá!"
Eu mereço. No fim do 1o ano lectivo, particularmente emocionante, eu mereço.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Pérolas engavetadas


"Camarão, camarão é de grandes perigos!" - música do Dartacão, que se deve referir a ter apanhado muito sol

Na infinidade da perguntas sobre bebés e quando o era:
"Quando eu era bebé estava aqui na barriga dentro da tua roupa"
"Sim, mas era dentro da pele"
"O quê?!? E tu vais ir me comer?!?"

"Hoje não vais à escola por causa das pintinhas"
"Hoje não vou porcauso da escola? E se calhar alguém vem me visitar?!"
"Quem é que querias?"
"O avô."
(é dr. avô)

A caminho do hospital na loucura da rotunda mais comentada do país:
"O carro estava a deitar gasóleo. É porque tem motor ? Eu tenho motor?"
Depois de me rir (e de passar a rotunda):
"Não temos, mas temos parecido, os pulmões e coração"

"Estou-me a afungar" - brincando ao faz-de-conta na banheira

"Que estás a fazer debaixo da mesa Joana?" - depois do jantar
"Estou a misteriar" - que é como quem diz investigar, descobrir o mistério ;)

"Corpo-espinho" - porco-espinho
"Compelido" - terminando uma tarefa, deve ser algo como cumprido + concluído

 

terça-feira, 10 de julho de 2012

Inevitável

... era que a história da sementinha do maninho surgisse nos mais diversos cenários, a saber:
- às educadoras à porta do infantário;
- aos meus tios-avós na aldeia;
- à cabeleireira que lhe disse que queria ter uma menina como ela. Resposta: "tens que arranjar um menino para encontrar uma sementinha para ti, o meu papá também vai arranjar uma para a minha mamã". Vá lá que não disse que era o pai a encontrar para ela.

Pessoalmente não me incomoda nada, mas provavelmente toda a gente já conhece a história, pode ser maçador. Isso e "ai e tal, é verdade"?!?

E se na escola há miúdos que falam em morrer, vai lá filha, conta a tua história, é bem mais divertida a origem da vida.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Dicotomia

"- Joana toca a comer!" [em vez de falar que nem um papagaio]
"- Está bem." - saca da sua flauta virtual e começa a tocar - ontem estava no seu melhor, depois de um dia excelente na praia/infantário e esta "dicotomia chora e ri" também me faz ir dos 0 aos 100 em 5 seg!

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Festa de Final de Ano


No passado dia 15.Junho foi a tão aguardada Festa do Final de Ano. O tema era "Todos Diferentes, Todos Iguais", no contexto do projecto anual "Educação pelos Valores". O teatro que fizeram era o "Global Kids". As educadoras eram as apresentadoras de um espectáculo com personagens de cada canto do mundo, os miúdos. No final dançavam mostrando que, apesar das diferenças, eram capazes do convívio e da partilha. Muito lindo e divertido!

A Joana foi a Jamila, a princesa das arábias, loira de olhos azuis! Esteve óptima, dançou todos os seus passinhos concentradíssima. Os miúdos acusaram todos o peso da responsabilidade e pelos vistos passaram o dia alterados e ansiosos! Ser estrela mundial não é fácil, sobretudo com a família a ver! No nosso caso, os pais e as avós (infelizmente eram no máximo 4 pessoas por criança)
Depois mostraram os seus dotes de inglês ao cantarem "We are the world" - mereciam um prémio e a miúda a cantar é digna de muitas visualizações no youtube! ;) É de chorar a rir, o que não sabe inventa!

Tivémos ainda um lanche-convívio e as crianças aproveitaram para libertar as energias no recreio.

No final foram entregues os diplomas, com a "aprovação" para o próximo ano. Deixam a sala das Formiguinhas e vão para as Joaninhas. Uau! E aí é que me apercebi de como já passou um ano e de como a minha filhota cresceu (a bem ou a mal ;) ). Não posso dizer que tenha sido tudo superado, ainda estamos em adaptação, mas a melhorar (note to self).



Trouxemos também os manuais e as actividades plásticas realizadas. Aproveitámos para elogiar muito e evidenciar a evolução ao longo do ano, de como era capaz de maravilhas, mostrando-nos muito orgulhosos - não foi preciso grande esforço. Neste aspecto, aprendizagem, perspicácia, compreensão, responsabilidade, linguagem, inteligência, a nota da Joana é máxima.
Desculpem se pingou baba para esse lado.


terça-feira, 3 de julho de 2012

Pum-Pum Pum-Pum-Pum Pum-Pum

pum-pum pum-pum-pum pum-pum bate descompassadamente o coração da progenitora, a cria está a fazer praia com a escolinha - serão 15 dias de arritmias.
Pela 2ª vez fiquei a ver (ao longe) a camioneta afastaaaaar-se - foi o último dia.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Fim do Sonho Europeu

Não me refiro ao fim do sonho de vencer o campeonato europeu, mas ao facto de, com a nossa eliminação e o fim do campeonato, não voltarmos a ouvir na abertura do telejornal "Boa noite, é Hugo Almeida..." (o repórter especial falava sobre a substituição do Postiga).
Voltaremos à crise e à austeridade e ao prós e contras sobre lutar ou resignar, em vez dos debates em todos os canais, sobre se somos ou não os melhores do mundo. E embrora não veja quase nada disto, sempre é uma coisa que soa melhor.
Ao menos que se mantenha a máxima "saimos de cabeça erguida como a selecção"!

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Somos os maiores


Gosto muito de futebol, isso é um facto, mas adoro ainda mais nesta altura de selecção, em que se pode ligar a televisão e na abertura não ver desgraças, apenas que somos os maiores e os melhores do mundo e aquele menino da gasolineira já nem precisa de emigrar para ser alguém, afinal vai ser alguém, porque provámos que não somos preguiçosos. E já podemos "viver acima das possibilidades".
Por estes dias não há crise, nem austeridade, a situação da Grécia e da Espanha passa-nos ao lado (excepto no ponto em que a Grécia joga contra a Alemanha e a Espanha contra a França). Por estes dias não há nada que afecte a alma lusitana, somos corajosos, lutadores e dedicados.
Somos os maiores.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

e ainda...

Ao sair do sono profundo, tal Alice mergulhada no País das Maravilhas, espreguiça-se, bate em mim, que estava a conversar com ela para animar o dia:
"- Arrrrgggh... preciso de espaço..."
E eu nada.
"- Mamã vamos fazer assim, tu vais tomar o pequeno-almoço e eu fico aqui mais um bocadinho."
"- Ah é? Sou eu que estou a incomodar?"
"- Não mamã, é só um jogo. Tá bem?"

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Ao Acordar

A miúda tem mau acordar. Sempre dormiu muito e ainda hoje, se a deixar dorme, 10 - 12h, sobretudo se não tiver dormido de tarde (excepção feita aos dias em que não há escolinha, não quer dormir e levanta-se fresca...). Até dá gosto vê-la.
Ou seja, se acordar por ela, menos mau, acordando-a é o fim do mundo.
Isto é um ponto assente e vou-me resignar definitivamente, a que ela, que tal como os adultos, tem o seu ritmo (eu própria não funciono bem na 1ª hora).
Ora o problema é que este facto entronca (linda palavra) nos preparativos para sair, na chegada à escolinha e na manhã lá passada... Fazer o quê? Dar-lhe um cafézinho? As tardes, depois da sesta, são sempre melhores.
Nos (meus) melhores dias lá consigo lidar com a coisa, fazer umas macadadas e respirar muito fundo, perante um interminável muros de lamentações. Nos outros, não.

Depois há os dias de excepção, em que consigo que adormeça cedo (já que à noite é o oposto, está cheia de energia, que ficava acordada até às tantas) e que acorda tranquila:
"- Mamã já tomaste o teu pequeno-almoço?"
"- Não" - na realidade sim.
"- Então vou ficar aqui 5 min e depois tu vens-me buscar."
"- Está bem." - enquanto fico a conversar e a fazer-lhe festas
...
"Mamã, tens fome?"
"Tenho."
"Então vai comer."

E despacha assim a mãe. E rio-me bastante. E lembro-me do dia em que não terá esta delicadeza ao chamar-me chata e irá descartar aquilo que agora tanto quer. E suspiro de novo.

terça-feira, 19 de junho de 2012

Purgatório

A minha filha ontem transformou o infantário na visão mais próxima que as educadoras têm tido do purgatório ou do dilúvio final.
Lá tive que me armar em forte e dar continuidade às sanções disciplinares.
Parte boa: nesta fase aguentou-se como uma valente.
Melhores dias virão.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

...

"O J.P disse que quando eu fosse muito, muito velhinha ia morrer e ia para o céu!" - obrigada J.P., ainda estou a tentar ajudar a superar os desafios dos 4 anos e crias-me tu esse desafio, que andava adormecido.

Ribombar

Acordei com uma neura do tamanho do mundo. Por tudo e por nada e não apenas por ser 2ª feira. Talvez seja um acumular de trovões a ribombar e o meu pára-raios não esteja a captar tudo. É estúpido, eu sei. Sou apologista do "alegrarmo-nos com o que é alegre, entristecermo-nos com o que é triste" - sem reservas, porque é frequente esquecermo-nos da 1ª parte, com medo que a qualquer altura surja a 2ª. Mas efectivamente nada triste aconteceu, logo é estúpido.
Nem é a questão do "como é que vai ser ou não vai" que me chateia, é mesmo o presente a morder-me os calcanhares.
Se pensar positivo é fácil nos dias positivos, nos negativos é agarrar-me às imagens com frases bonitas que andam por aí, por isso todos os mantras, frases-chave, ditados e psicologias são bem-vindos.
Irra, estou tremendamente chata.
Vamos só dizer que estou em reflexão, que é mais bonito.



(não faço ideia o que é que o Shakespeare teve a ver com isto... mas o "to be or not to be" diz-me muito) 


Vá, admito que o mau humor matinal da Joana e o facto de ter começado o dia a ralhar-lhe não ajudou... Estou a precisar de férias do infantário também.

sábado, 16 de junho de 2012

O que a minha filha e o futebol (também) ensinam


"A sorte dele foi ter dado um pontapé na atmosfera" foi a frase que ouvi de passagem na rua entre dois "executivos" adeptos da selecção, sobre o golo do Varela, que à 1ª falhou a bola e à 2ª marcou o golo. Totalmente certa: à 1ª provavelmente acertaria no jogador adversário - e resumiu ali, sem querer, a essência da vida: às vezes temos mesmo que dar muitos pontapés na atmosfera, eu própria continuo a chutar.

"E no intervalo Portugal também ganha?" - para esta miúda, perder nem pensar, ganhar até se ganha o intervalo, não é só a 1ª, nem a 2ª parte.

"Aquela miúda não gosta nada de perder, já viste?" - dizia uma mãe para uma avó após a big birra no jogo do galo, que eu apenas a impedi que ganhasse. Claro que a repreendi e nem joguei mais. No entanto, já vi adultos fazerem figura pior por perderem e em coisas, vá, idênticas. Tragam de lá essas crianças que gostam de perder, que eu quero ver.
Quando tudo pressiona a miudagem (e não só) para o sucesso, para o correcto, para o bonito, perfeito e ideal, digo eu que é o que passamos a vida a tentar fazer.




sexta-feira, 15 de junho de 2012

Procrastinar


Estava aqui a ler uns blogs realistas, a reflectir sobre a vida e resolvi deixar de procrastinar (que é também uma coisa que também aprendi nos blogs, às vezes com outro nome, por exemplo nos  Locais habituais - actualmente a Dora é o meu gurú) e ir buscar a cadeira nova da miúda para o carro, que chegou da 9 Luas (A Patrícia Mamã Peixinha foi a gurú da minha gravidez e cá continua no coração).

Missão impossível, pensava eu, estacionar por lá. Estamos a falar da rotunda de uma das rotundas mais famosas do país e de transportar uma caixa grandita - motivos pelos quais andava, lá está, a proscrastinar, a pensar como vai ser, "e se", "ah e tal" - e a reclamar dos espertalhões dos CTT que colocaram o aviso no correio, sob pretexto de, como vi on-line, "o destinatário tem apartado", em vez de entregarem a encomenda em casa - mas isso são outros 500... e muito poderia insultar dizer sobre o chico-espertismo.

E continuando a reflectir sobre a vida numa mera deslocação: sorte, passou o fiscal e vagaram muitos lugares. Sorte, um senhor que tinha acabado de carregar o parque e ia sair, deu-me o ticket dele. Sorte, não era tão pesado como pensava (ou ando a comer bem).

À conta do parque grátis fui ainda jogar no euromilhões, que a sorte não é todos os dias - ou será para quem arrisca e ainda tiro daqui uma lição de vida?!? (azar, só gastei foi 2€ - uma excelente oportunidade para voltar a jogar, como ensina o nosso 1º)
Apesar do cor-de-rosinha, não deixei de mandar vir nos Correios.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Filosofias nocturnas

"Quando eu não olho, o xixi vem para trás, quando eu olho vai para o pipocas."


(o termo pipocas é da minha autoria, nunca gostei de pipi nem passarinha, nem nada que o valha - igualmente mau, mas mal por mal, pipocas)

terça-feira, 12 de junho de 2012

7 dias da semana

A miúda sabe os dias da semana e as actividades previstas para cada dia, seja em casa ou na escola. À sexta sabe que é o último dia da semana, que à noite pode deitar-se tarde, esticar a brincadeira, as histórias antes de dormir, o leitinho e as estrelinhas. Ao sábado sabe que é dia de ginástica e de ao acordar chamar: paapáááá! (ao contrário dos restantes 300 e tal dias do ano...)

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Xô bicho!

O bicharoco passou rápido, ficou-se pelos sintomas soft e na 6a só não foi ao infantário para não passar a "tinha" aos amigos. Mal acordou puxou a camisola do pijama para cima e perguntou: "mamã, tenho pintinhas?" - já a ver onde ia parar a conversa: "porque é queres saber?" - "não posso passar às pintinhas para os meus amigos!"
Com a miúda boa pudemos usufruir do fim de semana em pleno, com ida a Fornelos no sábado para a (mini) ajuda e a Castelo de Paiva no domingo, um jantar com amigos pelo meio, ufa estou cansada! :)
Nota para a observação na sala de espera do hospital: "Olha mamã tantas pintas ! Pareço um dálmata!"

Viste S. Pedro, viste?

sábado, 9 de junho de 2012

Porque é que a malta gosta de feriados


No Corpo de Deus fomos parar ao Zoo Sto. Inácio, assim sem estar à espera, o soube muito melhor.
Depois de um delicioso almoço com os avós de parte a parte, o pai ligou ao tio F. que tinha combinado com as primas ir e colámo-nos. O tempo estava novamente ameaçador, mas ficou uma tarde solarenga - S. Pedro, já podias desistir, que nós vamos sempre!

Foi uma óptima tarde, passada aqui tão perto de casa. O parque está bem conservado, tem já muitos animais e já se notam preocupações em adaptá-los ao meio natural (uns mais do que outros...), talvez por optarem pelos de menor porte. Há um ano fomos ao da Maia e não sei quem estava mais deprimido, nós ou os animais...

Escusado será dizer que a Joana adorou a surpresa, especialmente os macacos e as suas macacadas.
À noite lembrou-se de dizer perante as caretas do tio "afinal o meu preferido é o tio F!". ;)

É por isto que a malta gosta de feriados, pelos vistos, tá mal!



sexta-feira, 8 de junho de 2012

Dia Mundial da Criança

01.Junho

Como a Joana estava melhor da amigdalite, na 6ª feira de manhã foi à escola para aproveitar as surpresas do Dia da Criança! Valeu bem a pena, esteve lá um palhaço, que fez um teatro com os meninos, pinturas faciais e balões com formas. A Joana quis participar em tudo, o que foi uma grande vitória. Foi a 1ª vez que deixou pintarem-lhe a cara. Veio para casa muito feliz!




No sábado, na continuação dos festejos, estivémos no Palácio de Cristal, onde havia várias actividades preparadas para as crianças. Estivémos na dúvida entre ir ou não, porque chovia bem, mas fazendo jus ao tema "When in doubt, get out" fomos. Justificou-se a ida, ainda que tivéssemos que nos abrigar uns momentos na biblioteca Almeida Garrett. O que também valeu a pena! Lá está, aproveitou-se a adversidade, como tanto gostam as psicologias modernas e o nosso 1º PPC! A biblioteca tem um espaço excelente para os miúdos, além dos livros, tem zona de actividades, brincadeira, computadores.

A oferta de diversão no parque do Palácio passava por: pinturas, desenhos para pôr num crachá, jogos tradicionais, bicicleta "btt", saltos na cama elástica, teatro, experimentar equipamentos da polícia, carrinhos de pedais, passeios de canoa no lago.
A Joana quis experimentar tudo e só não fez o que não era adequado à idade/altura.

O melhor do meu mundo é esta Criança!





quarta-feira, 6 de junho de 2012

And the winner is...

... síndrome ou doença mão pé boca... confirmámos hoje no hospital.


"Doença mão pé boca" - retirado de Pais e FilhosA doença boca-mão-pé ocorre sobretudo cerca dos quatro/cinco anos, e pode ser causada por uma grande variedade de vírus, mais frequentemente um que se chama coxsackie. A doença não costuma ser grave e as crianças recuperam numa semana.
Os sintomas começam por febre ligeira, perda de apetite e mal-estar geral. Segue-se o aparecimento de aftas dolorosas na boca, sobretudo na parte interior das bochechas e gengivas, e manchas nas palmas das mãos e plantas dos pés, que depois evoluem para nódulos e bolhas. A doença é contagiosa através das secreções nasais, saliva e líquido das bolhas, durante pelo menos uma semana depois do início da doença. Perante estes sintomas a criança deverá ser observada pelo médico-assistente. O risco maior consiste na desidratação provocada pela não ingestão de líquidos em quantidade suficiente, atendendo à dificuldade em engolir e à falta de apetite. A alimentação deve ser baseada em líquidos e pastosos, frios e de sabor neutro (gelados, por exemplo). Não há tratamento específico, mas é preciso dar todos os medicamentos necessários para o conforto da criança e os pais não se devem surpreender se ela emagrecer – passada a doença, o apetite virá, e em força. É conveniente evitar o contacto com mulheres grávidas"

Felizmente e por enquanto tem "apenas" pintas vermelhas pelo corpo todo, tendo hoje agravado a quantidade e aparecido no rosto, mãos e pés (daí o nome). Esperamos que não evoluam para os nódulo e bolhas... Aftas, perda de apetite e mal-estar, nicles. Toc Toc Toc
A parte da febre deve ter sido a da amigdalite, a pediatra disse-nos que o mais provável é estarem as duas situações relacionadas.
Pode ser que o bicho com nome japonês tenha vindo atordoado... mas já não digo nada...

terça-feira, 5 de junho de 2012

Pintarolas

Como pela boca morre o peixe, ao fim-da-tarde a miúda apareceu com pintas pelo corpo todo, sobretudo no tronco e pescoço. São vermelhas pequenas e não estão empoladas. A ver vamos no que dá... Para já o dr. da casa recomendou vigilância... Amanhã fica em casa de quarentena.

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Amigdalite

A amigdalite entrou pela porta e saiu pela janela. Foi um dia e meio de febre alta e persistente, com recurso ao Brufen para enganá-la até à hora do Benuron. E vómitos. Por causa dos "pontos brancos" foi necessário tomar antibiótico. No dia seguinte, a miúda parecia que tinha sido ligada à corrente eléctrica, tal era o speed - dizia o folheto "muito raramente pode causar efeitos sobre o sistema nervoso central, como hiperactividade" - estava perante um caso raro (antes assim do que KO como a vi).
Como seria de esperar, calhou logo dias antes de um teste do curso, logo o estudo foi intermitente.
Ainda que pedisse alguma atenção, deu para percebê-la mais independente na brincadeira.



Nunca se queixou da garganta, só da cabeça, aliás o dr. da casa (o Dr. House ;) ) detectou pela rotina de ver sempre tudo (tudo tudinho!)
Sendo assim, apetite nunca passou, só nos picos de febre. Fora isso, foi comer pó mundial! Bota!

Foi a primeira vez, aos 4 anos a piquena tomou antibiótico. "Inaugurou" a ficha de toma de medicamentos na escolinha.
Que seja sempre assim com esta saúde e resistência de ferro!

terça-feira, 29 de maio de 2012

O telhado

O fim-de-semana começou a ser planeado... pelo telhado. É verdade, a nossa casa de família da aldeia está em obras e fomos convocados pelos pais e tios para contribuir na renovação do telhado. Somos, os seis primos, fiéis depositários desta preciosa herança, a casa, que tem passado de geração em geração e nos foi deixada pela avó M.. Numa família com muitas ramificações, desde os trisavós, foi uma sorte ter chegado até nós. Só há pouco tempo, quando as primas do Brasil fizeram a árvore genealógica tive a noção de como a família é/foi grande.

Então o fim-de-semana, que começou pelo telhado, transformou-se em mais uma reunião de família, cheia da deliciosos momentos.
Cheguei depois do almoço, após a manhã no meu fabuloso curso de HST, ainda a tempo de saber que a minha prima S. afinal não está simplesmente grávida, mas sim duplamente grávida! Mais uns gémeos para brincarem com a Joana e com... as gémeas M. e B.! (ainda não se me fechou a boca, mas a alegria é a dobrar). Parece que está a virar moda!
Passámos telhas, uns aos outros, mão em mão, em fila para serem colocadas no telhado, enquanto mandávamos umas "postas".
Durante esse período, a Joana passeou e brincou com as primas, sob supervisão da "mum-to-be", que é mesmo para treinar (ai Jesus...). E ainda descascaram fadas, ou fabas, isto é favas, que a miúda é do Norte. Neste norteio também queria "barrer a baranda". ;)

Para domingo ficámos menos e fui com o meu pai, marido e filhota apanhar cerejas. Descobri que pode ser extremamente terapêutico. Então a parte em que eu e a Joana tirávamos dos galhinhos e comíamos e eles os dois apanhavam empoleirados na árvore, é que foi mesmo relaxante (não que a Joana não quisesse e tenha tentado trepar!). Diz o meu pai que evoca os nossos instintos recolectores primitivos. E sim, neste caso foi, porque quem plantou a cerejeira foi o meu querido avô H. e nós só nos limitámos apanhar.
Que paz ali no meio das terras, só com os barulhinhos da natureza.

Se a vida ter der cerejas, come-as, que depois de partir e repartir, ficas ainda com cerejas que cheguem! E como as cerejas são... como as cerejas, vêm sempre umas atrás das outras, aqui fica o orgulhoso cestinho da Joana:



(e como sou inteligente, mesmo depois do post "When in doubt, get out", deixei a máquina em casa, logo registos só na memória)

segunda-feira, 28 de maio de 2012

E ainda...

"Lavar o rabinho n debi"
"Isso é um aiped?" - moldura digital
"É a bandeira de linglaterra?" - logotipo na minha roupa
"Ir ao méquido" - já não diz, é para mais tarde recordar
"É para refechar" - ao deitar-se na banheira, nova palavra para relaxar + refrescar ;)
"Aquele é o caminho para criatura pesada?" - podia ser, por exemplo para um elefante, mas é mesmo para viatura pesada - resulta das "aulas de condução" com o pai. ;)
A lua que vimos ao caminhar perto da praia: "Que gira a lua, é uma luz de presença!" - para os peixes acrescenta o pai
"Tenho que fazer um cariado de limão" (carioca)
"Pim pão pum cada bola mata um pó peri pó perú"...
"Quero descascar fadas!" (favas)


É uma conchinha de pérolas!

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Mais Pérolas

O meu bebé para um lado, um meu bebé para o outro, vai ser assim e assado, o meu bebé na barriga...
"- Na barriga? Qual barriga?" - pergunto
"- Na tua!" - diz como se daaaaah mamã!

"- Posso pôr no Panda?" - pergunta depois do jantar
"- Espera que o papá está a ver o futebol, aproveita para brincar"
"- Também posso ver o futebol!
E assim ficou, quase meia hora, a ver o Sporting-Atlético de Bilbau...
Pelo meio, sob nosso protesto:
"- Não consigo brincar, é melhor ver o futebol ou as notícias."

"O Benfica presta!"
"Presta para quê?" - digo indignada
"Para nada!" - conclui
(Grande) Casa de pais, escola de filhos"

..........
estas estavam guardadas, tinha-me esquecido de publicar, daí o campeonato já ter até acabado ;)

Multibanco incauto

Adoro, adoro quando o multibanco grita: "Retire o seu dinheiro" quando demoramos mais do que um segundo a tirá-lo da ranhura. Também podia gritar "Sr. gatuno, aproveite que o guito vai sair agora! Este cliente não faz qualquer outra operação, é levantamento mesmo!"

Ainda bem que nos dão os conselhos como verificar se está alguém a seguir-nos/aproximar-se, se local não é demasiado isolado, esconder a marcação do código, etc...

"Retire o seu dinheiro!"


quinta-feira, 24 de maio de 2012

Coisas do Coração

A culpa foi minha ;) Desde que relembrei no blog Pastilha Elástica a ideia do fio invisível que une os nossos corações aos dos filhos, achei uma óptima ideia para ajudar a Joana a vencer o medo da separação ao ir para a escolinha.
Assim quando vem com a "chantagem emocional" de manhã do género "Vou ter saudades tuas" digo: "abanas o fio e lembras-te que a mamã está sempre contigo, do outro lado do fio transparente".
E vai daí têm saído sentidas pérolas, muito úteis para rematar à mãe, quando esta lhe dá os raspanetes necessários (isto é, quando tem que ser mãe) ou simplesmente quando quer mimocar a situação.

"Não te sinto no meu coração." - muito triste, capaz de fazer chorar as pedras da calçada e a mim também, após ralhar numa birra
"A M. não vem mais para a minha escola, ela é o meu amor..." - suspirando à janela (esta já é bis)
"O meu coração disse para te dar um abraço!" - feliz, quando a fui buscar ao infantário e me deu o 2º abraço, enquanto falava com a educadora
"Dá cá um abraço para sentir o teu coração" - neste caso era literalmente, já que me apertou com força

E também saem aquelas certeiras chantagens emocionais:
"Tu estas sempre zangada! Eu não queria que estivesses zangada! - e estava mesmo, perante mega-birra, porque o iogurte tinha que ser de morango e não nata. Era o iogurte preferido com smarties que me tinha custado um balúrdio! Sim, filosofei muito!
"Faz um sorriso" - que é o que lhe digo quando está triste
"Não disseste "meu amor" há muito tempo" - pois não, há 5 minutos só.

Na verdade a miúda dá-me a volta e nunca sei se está a sentir profundamente as coisas, se estou a exagerar a ralhar ou se o objectivo é mesmo me dobrar! E consegue, raça da miúda!

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Crescer para Amar


Este fim-de-semana estivémos num encontro para casais, "Crescer para Amar". Nunca tinha ido a algo do género e ultimamente até temos andado (estupidamente) afastados da igreja (não dos valores).
Aceitámos, ou melhor, primeiro eu ;) , o convite da P. e do N. que já lá tinham ido há 2 anos. Eu achava mesmo importante como ajuda para tirar as areias da engrenagem, não por haver um problema grave entre nós.
É coordenado pelo padre Pires e uma equipa de vários casais. Falam sobre vários temas e os casais dão o seu testemunho. Foi "levar no pêlo" de manhã à noite! Intenso!
Revelou-se uma paragem, uma oportunidade para reflexão profunda sobre a vida e o casamento, enquadrada em Deus, enquanto Amor. Foi bom pensar sobre várias questões que às vezes passam pela cabeça, mas fogem rapidamente. Foi um mergulho profundo em nós mesmos, encontro enquanto casal. Saímos de lá renovados e muito mais fortes. Agora é praticar!
Não esqueço nunca mais e recomendo, haja ou não problemas no casal!
"Crescer para Amar é que é! É é!" - ficou no ouvido ;)

Quando for grande

"... quero ser profª de inglês! E vou ajudar os meninos!"

Adora as aulinhas de inglês desde o início do ano. Terça-feira era o seu dia preferido por causa desta actividade. Ultimamente como "embirra" que não sabe desenhar (e sabe perfeitamente) e pintam ou desenham algo alusivo ao tema que estiverem a tratar, acaba por embirrar com o inglês. Quer que a profª ajude e chora como uma desalmada. Por isso é que diz que quer ajudar os meninos quando for grande!!!

Acreditasse a miúda que consegue fazer tudo o que quiser e tentar, a vida corria-lhe bem. Melhor ou pior, o perfeito não é necessário - andamos a tratar disso, com ajuda da psicóloga.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

When in doubt, get out!

A propósito deste lema que vi no blog do fotógrafo António Sá de que gosto muito e sigo no blog "The Quality Times", lembrei-me desta foto que tirei há umas semanas no Parque da Cidade no Porto.




É verdade que vale a pena sair para passear. Há dias que pouco prometem e se transformam em grande diversão em família. Para mim, entusiasta do clic-clic (amadora convicta ;) ), deu para tirar uma foto bonita, com um telemóvel (até para o estrear).

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Chill out

Com o bom tempo que tem estado deu para o chill out no nosso lounge, que é como quem diz, no terraço do prédio.
(pazes feitas com a bike, o capacete era prenda dos avós - soubesse esta miúda esperar e a vida corria-lhe melhor)

quinta-feira, 17 de maio de 2012

A cama nova


Chegou poucos dias antes do aniversário, aproveitando a onda "agora és crescida, tens que ter uma cama grande" e ela querer, sem ficar triste "ooooh a minha caminha".
Após o choque inicial de ver uma cama tão grande no quarto - estava habituada a uma filhota pequena numa cama pequena e chego à conclusão que é uma filhota grande, numa cama grande - ficou muito bem. Foi feita à medida e conforme pedido na Loja Nicho, onde tínhamos feito a 1ª mobília.
E já está preparada para as "eventualidades" - a gaveta é uma 2ª cama para acompanhar a Joana no caso de estar doente, para uma visita ou para um 2º filhote.

Ficou muito contente - tenho pena de não ter fotografado a surpresa e o riso - e orgulhosa da sua cama, onde cabem todos os seus amigos peluches. Pus uma decoração mesmo mimosa, mesmo menininha!
Dormiu lá bem, não se perdeu. ;)

No dia dos anos foi surpresa para o resto da família (já disse que gosto de fazer surpresas, ou é surpresa?), especialmente para a minha mãe que já me andava a massacrar "vai ver a cama", "aproveita para ver a cama" - e tinha razão, já era hora. Com isto arrumei tudo de bebé. Buuuuááá!

No sábado, ao fim de uma semana na cama nova, concluiu que o facto de entrar e sair lhe permitia ir ter connosco e às 7h30 foi mesmo. Chamou, mas pôs-se a caminho, ouvi-a mexer-se, descer e tic-tic-tic até à porta. "Anda" disse eu e lá chegou ao ninho.







quarta-feira, 16 de maio de 2012

Porque é que uma mulher deve gostar da sua cozinha


Tu és mais forte


Esta música é mesmo boa para uma que eu conheço. ;)
E que (agora) adora ouvir.


Tu és mais forte - Boss AC

"Tu és mais forte e sei que no fim vais vencer
Sim, acredita num novo amanhecer
Não tenhas medo, sai à rua e abraça alguém
E vai correr bem, tu vais ver

Tu mereces muito mais
És forte, abanas mas não cais
Mesmo que sintas o mundo a ruir
Quando as nuvens passarem vais ver o sol a sorrir
A estrada não é perfeita
Apenas uma vida, aproveita
Só perdes se não tentares
E não desistas se falhares
O que não mata engorda
Torna o teu sonho real, acorda,
Limpa as lágrimas e luta
Segue o teu caminho e escuta
A voz dentro de ti
As respostas que procuras, dentro de ti
Acredita em ti que tu és
Mais forte e tens o mundo a teus pés

Tu és mais forte e sei que no fim vais vencer
Sim, acredita num novo amanhecer
Não tenhas medo, sai à rua e abraça alguém
E vai correr bem, tu vais ver

Um dia tudo fará sentido
E vais ver que terás o prémio merecido
És o que és, não és o que tens
A tua essência não se define pelos teus bens
Às vezes as pessoas desiludem
Mas não fiques em casa parado à espera que mudem
Muda tu rapaz
Muda a tua atitude, vais ver ver que és capaz
E nada te pode parar
Os cães vão ladrar e a caravana a passar
O teu sorriso de vitória no rosto
Nem tudo é fácil mas assim dá mais gosto
Quando acreditas a força nunca se esgota
Só a reconheces a vitória se souberes o que é a derrota
Vais ver que no fim acaba tudo bem
Sai à rua e abraça alguém

terça-feira, 15 de maio de 2012

A festa


O dia passou no infantário. Ainda hesitámos entre ficar em casa, para aproveitá-lo comigo e a fazer "o que lhe apetecesse" ou ir e aproveitar o dia com os amiguinhos. Acabámos por optar levá-la, já que era, por um lado, uma oportunidade para passar um dia "bom" de escola e por outro a única festa com crianças pequeninas como ela. (Somos apologistas de festejar no próprio dia, pelo menos enquanto ela não pedir uma festa mais infantil, logo complica reunir toda a gente.)
Perguntei se queria ir e respondeu que sim, sabia que era a "rainha" do dia, com direito a muitas surpresas.
Fiz o bolinho do Peixe, "cópia descarada" do blog da amiga M. e não me saí nada mal! Ficou muito fofo e gostaram muito. Teve direito aos Parabéns à chegada e à sua coroa. Ao lanche fizeram festa de novo e soprou as velas.

Passei o dia entretida com os preparativos para o jantar, tentando afastar os pensamentos de "há 4 anos estávamos tão juntinhas e agora não, ai meu Deus como cresceu e agora está na escola e provavelmente daqui a 10 nem vai querer festejar connosco".
A festinha correu bem, estiveram cá os tios, primas, avós e bisavós da Joana. O bolinho era do Gombby e ela adorou, são os seus desenhos animados preferidos. Foi feito pela querida Ana Soares, dos Docinhos da Ana, que nestas andanças (ainda) não me meto. ;)



Joana, à hora em que nasceste, às 15h certas, troquei com o papá mensagens lindas sobre o quanto és o nosso maior sonho realizado, o nosso maior projecto em conjunto, a aventura e desafio mais alucinante. Sermos teus pais é a nossa mais bela e nobre missão na vida. E tão gratificante!
Queremos que sejas muito feliz e faremos tudo o que for possível para que tal se concretize.
Ser tua mãe é tudo, é um privilégio, a maior benção que podia ter!
Amo-te muito! Infinitos mil e um! ;)




(o dia também foi de choro e birras, na escola e em casa. Quando a educadora disse que ia comer o bolo todo. Quando recebeu a bicicleta, em vez de ficar contente reclamou pelo capacete, o que me deu vontade de transformar a bicicleta num avião pela janela. Passou tudo à hora do jantar, felizmente. São aqueles episódios para mais tarde não recordar de tanto que doem... que passem rápido...)

terça-feira, 8 de maio de 2012

Dia da Mãe

Na escolinha a festa foi na 6ª feira passada à tarde. Foram momentos muito bons e vi a minha filhota muito feliz por eu lá estar, a brincar com os amiguinhos e a participar nos jogos. Também me fez bem a mim, nesta fase tão conturbada de infantário.
O 1º desafio foi o jogo das diferenças, identificar algo que tivessem mudado nas crianças. Depois foi a caça ao tesouro, a partir de um envelope com uma pista encontrar um cartão escondido. Fomos as primeiras, graças à inteligência da minha filhota! ;) Recebemos o 1º prémio e como tal a Joana ficou radiante!
O domingo, dia da Mãe "oficial", passámos na comunhão de uma prima, logo acabou por ter mais significado o dia na escola. À noite estive com a minha mãe, a melhor do mundo, mas para mim, todos os dias são dias desta minha grande mãe.
Parabéns a todas as grandes mães e aos filhotes por nos tornarem as melhores... E mais felizes!

------
Este post está a sair às pinguinhas, agora vai!
Faltavam as prendinhas:

- um frasco de cheirinho, feito com copo de iogurte e raspinhas de sabão em camadas de cor.

- uma flor feita com uma palhinha e cartolinas pintadas e a mensagem pensada pela Joana: "A minha mãe... é simpática e amiga e dá-me muitos beijinhos porque gosta de mim."
Não há melhor!



sexta-feira, 4 de maio de 2012

Desejos

Ao deitar, já de luz apagada:
"As persianas estão abertas ou fechadas?" - pergunta a miúda
"Abertas." - sem perguntas para não esticar a hora
... ... ...
"Sabes porque é que quero as persianas?"
"Não."
"Queria olhar para o céu e pedir um desejo."
"Pedes amanhã.
"Ainda dá?"
"Dá. E qual era o desejo?"
"Não posso contar, se não, não se ializa"

Não te preocupes princesa, o teu desejo é o nosso desejo. ;)

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Novidades

A minha prima S. está grávida, a minha amiga J.P. também. O meu primo T. vai casar. Há mais um punhadinho de amigos que também vão ser papás, pela 2ª vez (S.L., A.O., I.F, ...). E há uns quantos a trabalhar para isso... ;) (E.S., V.O., A.C.)
Com tanta Felicidade junta, ainda dizem que há crise!!!



segunda-feira, 30 de abril de 2012

A felicidade das Pequenas Coisas

"Podes ir buscar-me muito tarde?"
Era para ir buscar-la à escolinha MUITO tarde (em vez de cedinho) e PARTILHAR o dvd do Noddy com os amiguinhos (em vez de não levar nada para a escola).
Deixei-a lá em SALTOS DE ALEGRIA.

Consulta pediatra

23.Abril

Está tudo bem com a pimpolha e a pediatra confirmou o excelente desenvolvimento e aprendizagem. Está óptima!
Perante as nossas questões sobre a ansiedade/insegurança e alterações de comportamento (como birras...), potenciadas pelo contexto da escola, indicou-nos uma psicóloga. A ideia é poder ajudar a Joana no "empurrãozinho" que lhe falta para superar "a adversidade" e orientar-nos para também a podermos ajudar. Muitas vezes não sabemos o que fazer, ralhar, dar mimo, compreender... Esta pode ser apenas uma fase e tem melhorado notoriamente, aos poucos, dia-a-dia. No entanto, não quero que fiquem marcas para a vida e assim temos consciência de que fazemos o que está ao nosso alcance.

Continua a ser notável o carinho e a dedicação que a nossa Dra. Lurdes tem pela Joana (e por todas as outras crianças). A forma como se surpreende e ri com as suas pequenas brincadeiras e raciocínios é admirável. Ao fim de tantos anos de profissão, só mesmo com muita vocação e amor por estes pequenitos.
As consultas são sempre tranquilas e com todo o tempo necessário, mesmo que esteja muita gente à espera. Não há pressas em observar, em conversar. Procura conquistar a calma da criança. Felizmente poucas vezes precisamos de incomodar via telefone por causa de problemas, mas temos o telemóvel e quando necessário está sempre disponível para bons conselhos e procura saber os resultados. Um anjo da guarda assim não tem preço!

A Joana estava tão à vontade ao ser vista e a despir/vestir que até comentei que podia ir sozinha!

domingo, 29 de abril de 2012

Convite Dia da Mãe

Chegou na 3ª feira e afinal este é que é o convite mais lindo de todos os tempos!
(mal posso esperar!)


sexta-feira, 27 de abril de 2012

Vale do Ninho

No fim-de-semana passado estivemos no Vale do Ninho, turismo rural dos nossos primos Sofia e Pedro, na aldeia Ferraria S. João, Penela.

É um lugar mágico e tranquilo que ao mesmo tempo nos proporcionou muitas experiências novas! Foi tal a intensidade dos momentos que nos pareceu uma semana!
Tirámos leite às cabrinhas, fizemos queijinhos, passeámos de jipe nas montanhas à procura de veados (vimos dois de fugida), a Joana passeou no Xico pela aldeia, visitámos outra aldeia, comemos deliciosas iguarias, bebemos bom vinho, convivemos e rimos muuuuito!

Sentimo-nos totalmente em casa e com vontade de ficar por lá!
A Joana então, é difícil descrever a alegria e euforia em que esteve!

Voltaremos com certeza!

E como uma imagem, vale mesmo mais do que mil palavras, cá ficam:





Adenda:
Além destes programas "à Vale do Ninho" há possibilidade de "oficiais" já que o Pedro tem uma empresa, A2Z, que organiza actividades ao ar-livre, como caminhadas em percursos pedestres, passeios de bicicleta, BTT, e muito mais! Nós não tivemos tempo desta vez, na próxima iremos experimentar!

Se a vida te der limões...

...faz um Creme de Limão e Iogurte!


...e se te der laranjas...
faz uma laranjada!


Foram estas as brincadeiras que fizemos com os frutos que apanhámos na Páscoa em Fornelos!

terça-feira, 24 de abril de 2012

Amor é...

"A M. (amiguinha da escola) tem muito amor para mim no coração e eu tenho muito amor para a M."

"O meu amor é a M."

Pego na miúda ao colo, dou-lhe um beijoco mimoco, agarra-se ao meu pescoço, encosta a cara na minha e "Adoro-te mamã"
(o melhor do mundo!)

Dá um abraço aos dois em simultâneo e diz:
"Podemos ficar a namorar o dia todo!"

"- Papá, eu vou crescer mais um pouco para casar contigo!" - declara a Joana quando o pai lhe pede um beijo a chegar a casa.
"- Mas eu já casei com a mamã!"
"- Sim, mas é quando eu for grande!"
"- Tens que perguntar à mamã se ela deixa." - descarta o pai
Vem ter comigo:
"- Mamã, posso casar com o papá quando crescer?"
"- Podes, mas devias arranjar um namorado para casar."
" - Mas o meu namorado é o papá." - conclui com toda a lógica.
(Electra in the house)

Vai dar boa noite ao pai, eu dou-lhe também um beijo, agarra-nos aos dois e diz:
"- Adoro-os"
"- Adoras o quê?"
"- Adoro os meus pais!"

Acorda a meio da noite e pede para ir para a nossa cama:
"O papá está lá?"

Pergunta a pediatra:
"Então quem é o teu namorado?"
"É o Zé" - resposta pronta
(já foste pai)


segunda-feira, 23 de abril de 2012

sexta-feira, 20 de abril de 2012

E ser mãe é...

... partilhar os piolhos com a filha.

No dia a seguir ao meu aniversário lá tive que me desinfestar...

O Meu Aniversário

16.Abril

Confesso que foi o ano em que passei mais sozinha - mea culpa, a miúda podia ter ficado em casa, mas decidi que fosse à escolinha, já que ia estar virada para as panelas, logo não ia poder estar na mesma com ela. Na verdade, como estive distraída, o tempo passou depressa e às 15h30 estava a "resgata-la" (eheheh) na escola. Recebeu-me com uma corrida e um grande xi-coração e tinha-me feito um desenho.

Fomos lanchar ao shopping, com uma voltinha no parque da Zippy (eheheh) - apesar do sol, o tempo não dava para apanhar ar, sob o risco de levantar voo! Como tia C. também foi a voltinha estendeu-se a mais 2 passeios nos carrinhos de 1€, mais um peluche da ovelha Choné, uns marcadores e ainda um magnífico livro de actividades... tudo isto apenas enquanto a mãe entrou no hiper para comprar o belo do espumoso em falta... E ainda dizem que era eu a fazer anos!

No jantarinho estiveram os meus pais, avós e manos, num bom e animado ambiente, que é só o que quero nos meus anos e é para isso que acho que servem.
Acabei por receber muitos miminhos, muitos abraçinhos e beijocas, mensagens e telefonemas da família e amigos. Soube bem! E ainda outro xi especial da Joana no fim dos Parabéns, que literalmente se atirou ao meu pescoço! Ao abrir as prendas, que eram roupa, diz-me "Que lindo mamã, vais ficar uma princesa!", "Agora vais ser a minha princesa" - também se ganha o dia assim!



E fazendo jus à "pesada" herança familiar doceira, lá saíu qualquer coisa de jeito desta vez, um merengado de maçã - aqui já na versão atacado.



Confesso que no final do dia, tudo passado, me deu uma certa nostalgia, um certo não sei o quê... Será normal aos 33 anos? O_o

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Domingo 13

Não, não foi 6ª feira 13 que tivémos, foi Domingo 13.

Começámos o dia a catar piolhos e terminámos a arrombar a porta de casa com uma radiografia...

Ora foi assim... Pareceu-me ver qualquer coisa na cabeça da miúda no sábado, mas como nunca tinha visto piolhos, não sabia se eram ou não... Era só um e mínimo e parecia mais um cisco, não se mexia. No sábado tive quase a certeza, eram mais...! No domingo, na continuação da saga, a comunidade movimentava-se e a miúda queixava-se de coceira! Antes que houvesse uma rebelião piolhosa e passeios para outras cabecitas, o pai comprou o "remédio" e toca de enchalmistrar o cabelo da moça e seguir os procedimentos desparasitantes.
Ela questionava o aparato e perguntava se tinha bichos e nós sempre " são ciscos, o champô é para o cabelo ficar fresquinho e não teres coceira", não fosse ela declarar de viva voz a toda a gente que tinha piolhos - o que é certo é que o fez: "Eu tinha bichinhos, o papá e a mamã puseram um champô fresquinho e já não tenho coceiras" - contou à tia T., esclarecendo com ar importante, como se disso dependesse o futuro da nação: "A tia T. tinha que saber."
What?!??! - deve ter apanhado as conversas no telefonemas "Será que é? Será que não é? E como são?".
Atrasadíssimos para o almoço em famíla, mas piolho free.


A porta foi muito simples: feita burra deixei a chave por dentro, não me lembrei e ao sairmos para os avós, o papá ao fechar a porta viu que ó-ou não se abria nem fechava. Disse mal da minha vida, insultei a porta e a mim - tudo para dentro, que a miúda aprende rápido. Tentámos a técnica do BI, não deu, fomos buscar uma radiografia e o avô N., que com o papá lá conseguiram abrir, imitando o chaveiro há 6 anos atrás... Se a vida lhes correr mal têm futuro, o papá a abanar a porta e o avô a passar o RX...
Lembrem-se, nada de porta só com o trinco... e não confiem na ajuda dos vizinhos, podíamos ter deitado a porta abaixo, com bomba e tudo, que ninguém aparecia para ver o que era... viva a solidariedade!
Atrasados para jantar, com mais 100 cabelos brancos e uma telha.

Páscoa em fotos

08.Abril

Na 6ª feira Santa estivemos com a família do pai em Castelo de Paiva e no resto do fim-de-semana em Fornelos.
A Joana andou muito, muito feliz "à solta", brincou com as primas "dos dois lados", andou nos baloiços, matou saudades dos animais, passeou "nas montanhas", brincou com os meus antiguinhos Pinypons, aprendeu a jogar damas, viu os peixes no tanque do avô, apanhou fruta das árvores... um sem fim de actividades!
Como o pai estava de férias, também lhas demos e, já por cá, demos uns passeios: fomos buscar a tia ao avião, aos parques infantis, à escola de condução (onde teve a sua 1ª aula de código!), ao terraço da avó R..





Está explicado porque é que depois lhe custa tanto voltar à escolinha, proporcionamos-lhe muito bons momentos! ;)
Ainda que pelo meio tenha levado a vacina contra a Hep. A... - ainda que reticente portou-se bem. Sentida disse ao enfermeiro que era maroto e já depois de sair dia no carro, cheia de mimoco "o doutor é feio". Eu acho que ele se portou também muito bem e superei o trauma da 1ª dose, em que correu tudo mal!