Lilypie Joana

Lilypie Kids Birthday tickers

Lilypie Diogo

Lilypie Third Birthday tickers

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Falar à bebé

É certo e sabido que olhar para um bebé pequenino induz a típica fala à bebé bidu-bidu. A prova disso é a mana que não consegue falar com o Diogo de outra forma! E também se baba muito:
"O Lindo é lindo!"
"O Lindo é foli!"
"O Lindo é querido!"

Continua uma querida com ele o que me enche o coração.

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Diogo - 2 meses

2 meses - 23.Julho
 
Ao chegar aos dois meses o Diogo tornou-se muito activo e curioso. Está sempre a abanar as pernocas e os braços quando sentado na cadeirinha ou deitado. Abre os olhos como duas azeitoninhas (azuis), fica atento aos sons, fixa os objectos e segue as pessoas.
 
Dorme lindamente, distinguindo o dia da noite. É incrível como se define um relógio biológico. De dia os sonos são mais leves, de noite ferrados, até a expressão do rosto é mais tranquila.
 
Passou a beber só biberão e só leite adaptado. Para mamar mandava-me à fava, queria quantidade e rapidez. Ainda tirava com a bomba, mas era cada vez menos. Por 60 ml por dia, de biberão e estando ele óptimo disse a pediatra, muito prática, que não valia a pena (confesso que me custou um bocadinho ouvir, porém só durou 1 segundo).
De uma semana para a outra aumentou à quantidade de leite, já vai nos 120 ml e às vezes 150 ml. Uma lata de 800 gr por semana, estamos a pensar pedir um subsídio de alimentação...
Durante o dia os intervalos são variáveis, tanto 2h (sobretudo com o calor) como 3 ou 4h. De noite faz um grande de 6h das 21/22h às 3/4h e seguido de outro de 3 ou 4h. Dava jeito o primeiro começar mais tarde, mas na verdade nem posso reclamar!
 
O primeiro sorriso rasgado foi no dia 8 de Julho, agora são muitos e lindos! Cá para mim, que sou mãe, já me reconhece bem e gosta de mim ;) já que ontem quando cheguei a casa, após saída deu-me um sorriso precioso.
 
No dia 23 a mana, ao saber que fazia 2 meses, perguntou o que faria ele agora (como quem diz, já fazias qualquer coisinha), disse-lhe que eram os sons (para inventar qualquer coisa). Na verdade começou a fazer novos e frequentes sons. "Tinhas razão mamã!" 
 
Descobriu as mãos e passa a vida com elas na boca. Inicialmente pensámos que era fome, mas não, fá-lo mesmo depois de comer. Diz a pediatra que é mesmo a explorar novas conquistas e até ajuda à digestão.
 
Liga mais à chucha, embora seja apenas quando está arreliado com dores ou a querer dormir, depois larga-a logo.
 
Continua calminho e doce, só chora mesmo quando tem motivo, como soninho, fome (aí berra) ou alguma dorzita. Não gosta de estar sozinho, mas ainda não está manhoso, basta-lhe ver as pessoas, não é necessário pegar ao colo (ainda que goste!). (Também) neste aspecto muito ajuda a mana, que fala e brinca com ele, distrai-o, põe-lhe a chucha e até o aero-om se ranhetar de sono.
 
Praticamente não tem cólicas, o que estará relacionado com a facilidade em libertar-se dos gases...
 
Foi neste dia comemorativo que fomos à consulta na pediatra. O nosso pequeno buda pesa 4.520 kg e mede 55 cm. Aumentou 1.4 kg em um mês, ainda consegue pesar mais do que a mana com o mesmo tempo. Isto é que é crescer!
A dra. L. ficou muito contente com o estado geral do bebé e fez-lhe muita festa, fazendo questão de lhe conseguir um sorriso. Teve o cuidado de dar atenção à Joana, que nos acompanhou, e ficou surpreendida pela relação com o irmão. Um doce, adoro-a!







quarta-feira, 24 de julho de 2013

Embrulha

"Não percebes nada!" - diz a miúda ao explicar-me que não queria tirar os calções antes de lavar os pés, para não os sujar.
"Pois não, não sou sabona como tu."
"Quem me dera que fosses esperta mamã."

Toma lá!
Quando nos começam a tratar como totós é o início do declínio.

domingo, 21 de julho de 2013

Sorrisos

Aqui à noite não há conversa com o menino Diogo para não o despertar demasiado, mas depois... Ao mudar a fralda, olhou para mim e disse um huuum, seguido de dois sorrisos rasgados (ainda raros que o meu filho é um homem sério) - irresistível! (ainda mais porque o meu pai disse que ele já me reconhece ao agitar-se quando me aproximo)
E deixou de me parecer que eram 6h da matina.

segunda-feira, 15 de julho de 2013

É desta que vou à bruxa

...disse eu. Só que não fui e na 6a o pai chegou a casa com dores de garganta e febre. Disse mal da minha vida, rabujei como tresloucada que pouco dormiu noite e dia e disse que a próxima era eu, como quem também tem o direito de cair para o lado, de não resistir a tudo, de ter de cuidar de doentes e saudáveis.
À 1h da manhã fui eu efectivamente, a doente. Acordei para o leite do bebé e quando fui ao wc senti a dor típica da infecção urinária. Já não consegui dar-lhe o leite, chamei o pai e padeci até ao antibiótico começar a fazer efeito.
Nunca mais rogo pragas (sem ter ido primeiro à bruxa).

domingo, 14 de julho de 2013

Freeeeeze


Será possível congelar estes momentos para sempre?
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 

 
 
 
Nos últimos dias tem-me dado aquela sensação angustiante do tempo passar depressa demais, passar tudo muito depressa... Parece que ainda ontem soube que estava grávida e agora já passou "tudo", o Diogo nasceu e está a crescer tão rápido, as roupas esticadas... A Joana a terminar o ano lectivo...(ok é bom sinal, eu sei) Ainda ontem era Natal e já estamos quase nas férias... Aquela sensação de tenho que aproveitar o tempo! Eu sei que parte dela é motivada rotina em casa com um recém-nascido, em que os dias não variam muito e pela privação de sono que leva a mente para lugares estranhos.
 
Sei que não podemos viver de saudades, agarrados nos momentos passados... No entanto, somos feitos dessas memórias.
E como não se pode (nem deve) parar a vida nestes momentos, resta-me a certeza de que o importante é viver para poder desfrutar de muitos!
Afinal de contas, como diria o outro, a felicidade estará sempre em pequenos e intensos nadas.

O peito

A intromissão que prefiro, o número um do top é:
"Ainda tem peito?"
Graças a Deus nasci com dois e não tive nenhum problema de saúde que me levasse a perdê-lo.
Não, não foi esta a resposta que dei, apenas um sim, que quando expresso quis dizer o mesmo.
Ainda assim a persistência:
"Mas é pouco, não é?"
Francamente pensei que a preocupação era se o miúdo engordava. Como está um pequeno buda e cresce a olhos vistos, qual é a questão? Anticorpos? Ligação mãe-filho? Naaaa voto na curiosidade pura.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Festa do Final de Ano

 
E assim, de repente, devagar e depressa ao mesmo tempo, chegámos ao final de mais um ano de infantário, este muito mais tranquilo, cheio de melhorias a todos os níveis, sobretudo na confiança, segurança, desinibição, um grande crescimento desta menina que nos enche de orgulho.
 
Viemos cheios de baba pelo desempenho, o coração cheio, ao vê-la com tanta alegria, a divertir-se muito com a própria actuação. Emocionei-me muito ao ver o grupo todo, como cresceram! São capazes de coisas maravilhosas, com a doçura que só existe nas crianças. Por outro lado, comoveu-me ver a dedicação das educadoras e directora, expressa no carinho com que os tratam, nos cuidados para que tudo corresse bem e visível nas horas e horas que devem ter perdido a criar as peças, preparar cenários e ensaios... Uma pequena família.
 
O tema deste ano lectivo era o "Crescer Saudável" e o teatro tinha vários quadros alusivos aos hábitos saudáveis, integrando uma espectacular aula de zumba. Cantar e dançar é a praia da Joana!
Houve também a demonstração de karaté e no inglês a peça era o Capuchinho Vermelho, onde a Joana tinha um parco papel, a mãe, por isso dedicou-se a rir das palhaçadas dos outros, como se fosse a 1ª vez que as via. 
 
No final, houve entrega do diploma de Joaninha, com passagem para a sala das Borboletas, que voam para a primária daqui a um ano... glup. Dado o momento solene, os manuais e trabalhos serão entregues em reunião, em sede própria, de preparação para entrada na distinta pré-primária!


 

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Fuck

Joana doente outra vez. Quando é que isto vai parar? Isto é por todos os anos pouco doente? É por ficar feliz com isso?
Foi hoje o 1o dia de praia com a escolinha, estava tão animada...
Pode ser que seja um pico pelo calor dos últimos dias... Pode ser.
É desta que vou à bruxa!

A opinião principal

Esqueci-me de mencionar que a outra pessoa, a principal até, que tem total liberdade para opinar é a Joana. Está sempre a zelar pelo bem-estar dele, até chateia (também). Porém, por ser a irmã mais velha, amar o irmão de paixão e aguentar, que remédio, as berrarias, está autorizada a:
- não tratas do mano? Ele está a chorar!
- não estás a fazer nada ao mano!
- o mano já tomou o pequeno-almoço?
- já são horas do mano comer?
- coitadinho tem a fralda suja?
- tem calor?
- ele está a chorar e ninguém sabe o que tem! [vem chamar-me]
- estão a fazer mal ao mano [quando vê muitas pessoas à volta]
O topo das preocupações foi no sábado quando se apercebeu de que ia ele ficar a dormir na avó, a ver se eu recuperava o aspecto de viva (o dia tinha sido a acompanhar as actividades de fim de ano dela e convívios). Não queria nada que ele fosse, ao jantar perguntou se ele estava bem, lembrou-se que não lhe tinha dado beijinho de boa noite e no dia seguinte queria ir buscá-lo a correr. Tranquilizou-a saber que os avós o tratariam tão bem quanto a ela.
O amor é de facto um sentimento transcendente e este, puro e genuíno, que assim nasce e não se ensina, enternece e enche o coração.