Lilypie Joana

Lilypie Kids Birthday tickers

Lilypie Diogo

Lilypie Third Birthday tickers

segunda-feira, 30 de abril de 2012

A felicidade das Pequenas Coisas

"Podes ir buscar-me muito tarde?"
Era para ir buscar-la à escolinha MUITO tarde (em vez de cedinho) e PARTILHAR o dvd do Noddy com os amiguinhos (em vez de não levar nada para a escola).
Deixei-a lá em SALTOS DE ALEGRIA.

Consulta pediatra

23.Abril

Está tudo bem com a pimpolha e a pediatra confirmou o excelente desenvolvimento e aprendizagem. Está óptima!
Perante as nossas questões sobre a ansiedade/insegurança e alterações de comportamento (como birras...), potenciadas pelo contexto da escola, indicou-nos uma psicóloga. A ideia é poder ajudar a Joana no "empurrãozinho" que lhe falta para superar "a adversidade" e orientar-nos para também a podermos ajudar. Muitas vezes não sabemos o que fazer, ralhar, dar mimo, compreender... Esta pode ser apenas uma fase e tem melhorado notoriamente, aos poucos, dia-a-dia. No entanto, não quero que fiquem marcas para a vida e assim temos consciência de que fazemos o que está ao nosso alcance.

Continua a ser notável o carinho e a dedicação que a nossa Dra. Lurdes tem pela Joana (e por todas as outras crianças). A forma como se surpreende e ri com as suas pequenas brincadeiras e raciocínios é admirável. Ao fim de tantos anos de profissão, só mesmo com muita vocação e amor por estes pequenitos.
As consultas são sempre tranquilas e com todo o tempo necessário, mesmo que esteja muita gente à espera. Não há pressas em observar, em conversar. Procura conquistar a calma da criança. Felizmente poucas vezes precisamos de incomodar via telefone por causa de problemas, mas temos o telemóvel e quando necessário está sempre disponível para bons conselhos e procura saber os resultados. Um anjo da guarda assim não tem preço!

A Joana estava tão à vontade ao ser vista e a despir/vestir que até comentei que podia ir sozinha!

domingo, 29 de abril de 2012

Convite Dia da Mãe

Chegou na 3ª feira e afinal este é que é o convite mais lindo de todos os tempos!
(mal posso esperar!)


sexta-feira, 27 de abril de 2012

Vale do Ninho

No fim-de-semana passado estivemos no Vale do Ninho, turismo rural dos nossos primos Sofia e Pedro, na aldeia Ferraria S. João, Penela.

É um lugar mágico e tranquilo que ao mesmo tempo nos proporcionou muitas experiências novas! Foi tal a intensidade dos momentos que nos pareceu uma semana!
Tirámos leite às cabrinhas, fizemos queijinhos, passeámos de jipe nas montanhas à procura de veados (vimos dois de fugida), a Joana passeou no Xico pela aldeia, visitámos outra aldeia, comemos deliciosas iguarias, bebemos bom vinho, convivemos e rimos muuuuito!

Sentimo-nos totalmente em casa e com vontade de ficar por lá!
A Joana então, é difícil descrever a alegria e euforia em que esteve!

Voltaremos com certeza!

E como uma imagem, vale mesmo mais do que mil palavras, cá ficam:





Adenda:
Além destes programas "à Vale do Ninho" há possibilidade de "oficiais" já que o Pedro tem uma empresa, A2Z, que organiza actividades ao ar-livre, como caminhadas em percursos pedestres, passeios de bicicleta, BTT, e muito mais! Nós não tivemos tempo desta vez, na próxima iremos experimentar!

Se a vida te der limões...

...faz um Creme de Limão e Iogurte!


...e se te der laranjas...
faz uma laranjada!


Foram estas as brincadeiras que fizemos com os frutos que apanhámos na Páscoa em Fornelos!

terça-feira, 24 de abril de 2012

Amor é...

"A M. (amiguinha da escola) tem muito amor para mim no coração e eu tenho muito amor para a M."

"O meu amor é a M."

Pego na miúda ao colo, dou-lhe um beijoco mimoco, agarra-se ao meu pescoço, encosta a cara na minha e "Adoro-te mamã"
(o melhor do mundo!)

Dá um abraço aos dois em simultâneo e diz:
"Podemos ficar a namorar o dia todo!"

"- Papá, eu vou crescer mais um pouco para casar contigo!" - declara a Joana quando o pai lhe pede um beijo a chegar a casa.
"- Mas eu já casei com a mamã!"
"- Sim, mas é quando eu for grande!"
"- Tens que perguntar à mamã se ela deixa." - descarta o pai
Vem ter comigo:
"- Mamã, posso casar com o papá quando crescer?"
"- Podes, mas devias arranjar um namorado para casar."
" - Mas o meu namorado é o papá." - conclui com toda a lógica.
(Electra in the house)

Vai dar boa noite ao pai, eu dou-lhe também um beijo, agarra-nos aos dois e diz:
"- Adoro-os"
"- Adoras o quê?"
"- Adoro os meus pais!"

Acorda a meio da noite e pede para ir para a nossa cama:
"O papá está lá?"

Pergunta a pediatra:
"Então quem é o teu namorado?"
"É o Zé" - resposta pronta
(já foste pai)


segunda-feira, 23 de abril de 2012

sexta-feira, 20 de abril de 2012

E ser mãe é...

... partilhar os piolhos com a filha.

No dia a seguir ao meu aniversário lá tive que me desinfestar...

O Meu Aniversário

16.Abril

Confesso que foi o ano em que passei mais sozinha - mea culpa, a miúda podia ter ficado em casa, mas decidi que fosse à escolinha, já que ia estar virada para as panelas, logo não ia poder estar na mesma com ela. Na verdade, como estive distraída, o tempo passou depressa e às 15h30 estava a "resgata-la" (eheheh) na escola. Recebeu-me com uma corrida e um grande xi-coração e tinha-me feito um desenho.

Fomos lanchar ao shopping, com uma voltinha no parque da Zippy (eheheh) - apesar do sol, o tempo não dava para apanhar ar, sob o risco de levantar voo! Como tia C. também foi a voltinha estendeu-se a mais 2 passeios nos carrinhos de 1€, mais um peluche da ovelha Choné, uns marcadores e ainda um magnífico livro de actividades... tudo isto apenas enquanto a mãe entrou no hiper para comprar o belo do espumoso em falta... E ainda dizem que era eu a fazer anos!

No jantarinho estiveram os meus pais, avós e manos, num bom e animado ambiente, que é só o que quero nos meus anos e é para isso que acho que servem.
Acabei por receber muitos miminhos, muitos abraçinhos e beijocas, mensagens e telefonemas da família e amigos. Soube bem! E ainda outro xi especial da Joana no fim dos Parabéns, que literalmente se atirou ao meu pescoço! Ao abrir as prendas, que eram roupa, diz-me "Que lindo mamã, vais ficar uma princesa!", "Agora vais ser a minha princesa" - também se ganha o dia assim!



E fazendo jus à "pesada" herança familiar doceira, lá saíu qualquer coisa de jeito desta vez, um merengado de maçã - aqui já na versão atacado.



Confesso que no final do dia, tudo passado, me deu uma certa nostalgia, um certo não sei o quê... Será normal aos 33 anos? O_o

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Domingo 13

Não, não foi 6ª feira 13 que tivémos, foi Domingo 13.

Começámos o dia a catar piolhos e terminámos a arrombar a porta de casa com uma radiografia...

Ora foi assim... Pareceu-me ver qualquer coisa na cabeça da miúda no sábado, mas como nunca tinha visto piolhos, não sabia se eram ou não... Era só um e mínimo e parecia mais um cisco, não se mexia. No sábado tive quase a certeza, eram mais...! No domingo, na continuação da saga, a comunidade movimentava-se e a miúda queixava-se de coceira! Antes que houvesse uma rebelião piolhosa e passeios para outras cabecitas, o pai comprou o "remédio" e toca de enchalmistrar o cabelo da moça e seguir os procedimentos desparasitantes.
Ela questionava o aparato e perguntava se tinha bichos e nós sempre " são ciscos, o champô é para o cabelo ficar fresquinho e não teres coceira", não fosse ela declarar de viva voz a toda a gente que tinha piolhos - o que é certo é que o fez: "Eu tinha bichinhos, o papá e a mamã puseram um champô fresquinho e já não tenho coceiras" - contou à tia T., esclarecendo com ar importante, como se disso dependesse o futuro da nação: "A tia T. tinha que saber."
What?!??! - deve ter apanhado as conversas no telefonemas "Será que é? Será que não é? E como são?".
Atrasadíssimos para o almoço em famíla, mas piolho free.


A porta foi muito simples: feita burra deixei a chave por dentro, não me lembrei e ao sairmos para os avós, o papá ao fechar a porta viu que ó-ou não se abria nem fechava. Disse mal da minha vida, insultei a porta e a mim - tudo para dentro, que a miúda aprende rápido. Tentámos a técnica do BI, não deu, fomos buscar uma radiografia e o avô N., que com o papá lá conseguiram abrir, imitando o chaveiro há 6 anos atrás... Se a vida lhes correr mal têm futuro, o papá a abanar a porta e o avô a passar o RX...
Lembrem-se, nada de porta só com o trinco... e não confiem na ajuda dos vizinhos, podíamos ter deitado a porta abaixo, com bomba e tudo, que ninguém aparecia para ver o que era... viva a solidariedade!
Atrasados para jantar, com mais 100 cabelos brancos e uma telha.

Páscoa em fotos

08.Abril

Na 6ª feira Santa estivemos com a família do pai em Castelo de Paiva e no resto do fim-de-semana em Fornelos.
A Joana andou muito, muito feliz "à solta", brincou com as primas "dos dois lados", andou nos baloiços, matou saudades dos animais, passeou "nas montanhas", brincou com os meus antiguinhos Pinypons, aprendeu a jogar damas, viu os peixes no tanque do avô, apanhou fruta das árvores... um sem fim de actividades!
Como o pai estava de férias, também lhas demos e, já por cá, demos uns passeios: fomos buscar a tia ao avião, aos parques infantis, à escola de condução (onde teve a sua 1ª aula de código!), ao terraço da avó R..





Está explicado porque é que depois lhe custa tanto voltar à escolinha, proporcionamos-lhe muito bons momentos! ;)
Ainda que pelo meio tenha levado a vacina contra a Hep. A... - ainda que reticente portou-se bem. Sentida disse ao enfermeiro que era maroto e já depois de sair dia no carro, cheia de mimoco "o doutor é feio". Eu acho que ele se portou também muito bem e superei o trauma da 1ª dose, em que correu tudo mal!

terça-feira, 17 de abril de 2012

Modo "Pause"

É tanto para contar desde a Páscoa e tão pouco tempo para o fazer, que sairá em retrospectiva.
Era este o receio ao criar o blog!

terça-feira, 10 de abril de 2012

Baby palavritas II

Continuo a lembrar-me de palavras engraçadas do "antigo" vocabulário da Joana:
- nuninho - ninho
- tinsfomar - transformar
- cartaxo - cartaz
- quimisola - camisola
- xiquily - chantilly
- bubista - revista
- cacota - é uma mistura de macaco e catota - confesso que esta ainda não corrigi!

(Baby Palavritas era a boneca com que eu sonhava em menina, falava, dizia "mamã" e "papá". Naqueles tempos - estou velha - os brinquedos eram caríssimos, não havia Toys r Us e o Pai Natal não me trouxe. Agora prefiro a minha baby)

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Miminhos da Páscoa e outras aprendizagens

Da escolinha vieram na semana passada as prendas do Domingo de Ramos para os padrinhos: um coelhinho com cestinho com amêndoas para o "pradinho" e um ramo para a "mardrinha".
Aproveitaram ser a semana na Água, Ambiente, Árvore, etc - já parece o nome do ministério - e puseram em prática o que aprenderam - e foi muito! - fizeram tudo reutilizando embalagens (pacotes de leite, caixas de ovos).
Esta semana veio a prenda para os pais, um coelho maior -coelhão ;) - cheinho de amêndoas.
E reclamou ao entregar-me: "E para mim?!? Não há nada?!?"



À custa da aprendizagem sobre reciclagem já sabe tanto quanto eu ;). Já conhecia os ecopontos e pôr as embalagens correctamente, mas agora, quando tem alguma coisa para pôr no lixo, tem essa preocupação. Caíu-lhe uma bolacha "Temos que pôr no lixo ogrânico".
Disse a educadora que ficaram de olhos abertos quando lhes falou sobre a poluição dos rios e florestas, o lixo no chão, a falta de água, as necessidades de poupar, a protecção das árvores, ... Tornou-se uma guardiã da natureza (e das contas cá de casa)! Quem sabe se não será como a mãe como crescer! (uma sofredora pelas causas do ambiente eheheheh)

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Mini-chefe

Todos os dias tenho uma ajuda preciosa e empenhada para fazer o jantar. ;)
Não dispensa e não troca por nada.




E aproveitamos para ver o pôr-do-sol



Também ajuda a comer e nesta fase, de que maneira! Já disse ao pai que tem que pedir subsídio de lanche. É na escolinha e quando chega a casa (é mais um miminho, um danoninho ou leite achocolatado).

terça-feira, 3 de abril de 2012

Susto "necessário"

A miúda agora "apanhou o vício" de fugir repentinamente a correr quando estamos num shopping ou perto de um parque infantil, enfim de um sítio que lhe parece familiar e que sente que pode ir à vontade. Estamos sempre a alertá-la que não se pode afastar sem avisar, muito menos a correr. É que qualquer dia ou a amarramos a nós ou corre mesmo o risco de se perder.
Já aconteceu no meio da confusão, chamarmos por ela vezes sem conta, não parar e deixarmos de a ver por uns segundos. Bem ralhámos e assustámos que se perde de nós e não nos encontra mais,  sabendo o que sofre com isso e eu também por ter que lhe dizer (a perda dos pais é um tema muito sensível para ela, basta ver como ficava com o patinho feio), mas aparentemente não resulta.

Ontem fui com ela e com a minha mãe a uma loja de roupa de criança e ela andava a cirandar entre cruzetas. A certa altura estávamos no expositor atrás, conseguíamos vê-la, mas como era alto, ela não nos via a nós. Deu meia-volta no sentido contrário e começou a chamar por mim, a procurar, chamar cada vez mais alto, até que parou bloqueada a chorar muuuito. Fui sempre acompanhando e não a deixei chegar ao desespero total, mas apanhou um grande susto. Agarrou-se a mim tipo macaquinho e nem queria ir para o chão. Fui "obrigada" a dizer que não ía deixá-la perder-se, já que estávamos do outro lado, mas esta era a razão porque não se podia afastar de nós, que depois não sabia onde nos encontrar.

Espero que tenha mesmo aprendido alguma coisa... É duro dizer algumas coisas aos filhos e fazê-los sofrer, mas é bom que tenham noção dos perigos, num mundo muito pouco cor-de-rosa. Não tenho vocação para incutir este sofrimento, fico com o coração apertadinho, mas prefiro alertar do que arrepender de não dizer nada, com a falsa, erradíssima ideia de que estaremos sempre presentes para a proteger...

De notar que as pessoas à volta, também com crianças, não ligaram puto à miúda a chorar e nessa altura não me víam. Mais uma razão para a alertar... a sociedade é muito solidária... deve ser a pressa... para cuscar a vida dos outros é tudo mais rápido.

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Posso beber mais um?

As aprendizagens da escolinha sobre os alimentos que fazem bem e mal à saúde e a roda dos alimentos resultam em:
"- Mamã, o leite com chocolate faz bem à saúde?" - ao devorar um pacotinho
"- Sim, faz bem à saúde."
"- Então podemos beber todos os dias?"
"- Sim, mas devemos variar, umas vezes chocolate, outras sem nada..." - assim a ensinar
"- Então posso beber outro?"

Parecia mesmo o anúncio da Mimosa... ;)
http://videos.sapo.pt/fcW1Ea0Sgao8l2tnzjMe