Lilypie Joana

Lilypie Kids Birthday tickers

Lilypie Diogo

Lilypie Third Birthday tickers

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Voar, como sempre


Desta vez o sonho foi mesmo a dormir.

"Hoje sonhei um sonho mesmo bom, o meu sonho era o meu desejo: "voar com o R. e a I.. E nem era com pó de fada, nem sombra, era voar normal. Tu também estavas lá, mamã, e disseste: "uau eles estão a voar!". E o papá "eu nunca acreditei nisso!""

Mãe, a deslumbrada (e preocupada), Pai, o incrédulo.
Joana, a sonhadora.

sábado, 26 de outubro de 2013

OLX


Ao sair da escola a miúda vê que a amiga L. tem um guarda-chuva com apito e pede um para ela. A auxiliar diz que só pode ser quando este se estragar e eu reforço, sim, o dinheiro não cai das árvores.
A miúda abre aqueles olhos como só ela sabe e soluciona, à Porto:
"UOLHA, vai ao olx!"
"OLX?"
"Sim, lá é que as coisas derretem quando se toca com o dedo, o sofá, a cama..."
Combinado!

Será que lhe devo dizer que isso é só no mundo da imaginação, tal como o unicórnio cor-de-rosa com asas em que queria andar, quando fomos fechar os dias quentes de Verão "na quinta da Joana", Herdade do Barrocal de Baixo?

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Joana, 5 anos, 5 meses, 2 semanas e 2 dias


Todos sabemos que o tempo passa a voar, é uma frase feita, porém bem real e a mim às vezes esmaga-me essa rapidez, cria nostalgia, por não poder guardar momentos numa caixinha, para os repetir quando quiser.

Esta semana tem-me acontecido isto especialmente. Quando a Joana chega a casa, olho para ela e vejo uma menina cada vez mais crescida, mais madura, quando ela sempre o foi. Todos os dias há um despertar, uma alteração de linguagem, um interesse por coisas diferentes, o querer perceber novos assuntos, novas conclusões.
Felizmente está a libertar-se da ansiedade que as novidades no infantário lhe causaram, a fazer novas conquistas e a viver em pleno.
Sinto um orgulho gigantesco, um coração cheio, por ser mãe de uma menina tão especial.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Diogo 5 meses


Um príncipe doce e meigo, lindo, lindo. Activo, simpático e risonho.
 
Continua muito tranquilo, chora quase só por fome ou sono... ou manhita! Gosta de companhia e que brinquem com ele, por isso refila se fica sozinho ou sem atenção. Quando o pousamos em qualquer lado, também manda vir.
 
Anda com muita fominha, sobretudo a partir do fim da tarde :/, por isso as indicações da pediatra de começar com a comida vieram mesmo a calhar.
No domingo foi a sopa e não gostou mesmo nada! Batata e abóbora, pudera! À terceira colher já fazia cara feia e arrepiava-se!
Hoje passou a batata e cenoura, corr muito melhor!
Ontem com a fruta, pêra, deliciou-se, foi quase toda!
Claro que não sabe comer, empurra a comida com a língua e chucha na colher, faz aquela bodeguice típica, com tudo por fora.
 
De há duas semanas para cá, mal o deitamos, vira-se para baixo e estica o pescoço a observar.
 
Na 2ª feira ficou pela primeira vez doente... Tinha dormido mal essa noite, sempre a chorar e durante o dia esteve queixoso, só queria dormir e aninhar-se no colo. Custa tanto vê-los assim! De tarde chegou a febre e rumamos ao hospital. Felizmente "só" uma constipação. Reagiu muito bem e hoje a febre foi embora.
 
 

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Consulta pediatra Diogo 15-Out


Está tudo bem com este menino que saiu do consultório um pouco mais crescido: vai começar com uma refeição de sopa e fruta e daqui a um mês a papa.

A uma semana dos 5 meses:
Peso 6,420 kg
Comprimento 63,5 cm
P. Cef. 42,5 cm

Novos projectos, vida nova

 
Tanta coisa para contar e ando sem tempo nenhum!
 
Um ano após o "positivo" do Diogo, estou com outros dois embriões nos braços, agora profissionais. Dois novos projectos, agora meus!
 
Quando recebi o convite para o segundo, na minha área de formação, já estava a braços com o primeiro, mais pessoal.
Senti que era demasiado para um coração que vivia apertado, à espera de concretizar este sonho de tornar o mundo um pouco melhor, e se sentia afastado dessa rota. A esperança existiu sempre!
 
Num minuto, a vida muda, as dúvidas, as preocupações mudam, as interrogações sobre o futuro, que me inquietavam, sossegam (ou mudam de perspectiva...).
E surgem novas situações que dão sentido a opções tomadas, a rumos seguidos, aos momentos de inquietação.
É muito bom ter objectivos e sentir que os resultados "só" dependem do nosso esforço, que é unicamente por nós e para nós. E sentir este bichinho, ainda que as pernas possam estar bambas de tanta novidade!
 
Vamos ver no que dá, não nos esquecendo de alegrar e festejar com o que é bom, na mesma proporção com que nos entregamos à tristeza quando corre mal.
 
O Diogo já está a ficar parte do tempo com a Blé, que cuidou também da Joana, para poder dedicar-me aos projectos, ainda que trabalhe em casa. Comecei o meu próprio processo de desmame, após 9 meses de gravidez, 2 deles em repouso, e 4 meses de dedicação ao meu bebé.
Custa é certo, mas não tanto quanto custou deixar a Joana, por ser a 1ª e a (minha) dependência muito maior, por com ele estar metade do dia, mas também porque sabia ao que ia regressar, o que ia encontrar.
A parte verdadeiramente dolorosa é que agora não há grande tempo para descansar e com noites ainda mal dormidas e acordando cedo para tratar da pequenada, o corpo, a cabeça e a disposição é que pagam. De vez em quando o marido e os filhos também...
A coisa há-de ir ao sítio, é mesmo assim. E havemos novamente entrar novamente na tal rotina que tinha encontrado há pouco, com mais ou menos neurónios conectados.
Isto vai, isto vai!


quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Carago não, carago!

Uma mulher do Norte:
"Joana anda para a cama! Já estou farta de te chamar, já chamei p`rai 20 vezes!"
"20 vezes?!? iiiiiiiiii carago!" - responde com admiração, mantendo os olhos na sua consola.

:s Pára tudo
Ficou perplexa quando lhe disse que era asneira, ainda que a pudesse ouvir de algumas bocas.

Update Diogo e vida nova


Na segunda-feira descobriu os pés. Levanta-os e agarra-os.
Descobriu que chuchar no lábio inferior é bem melhor do que na chucha e faz umas caras muito giras. 
 
Há 3 noites que dorme 8/9 horas seguidas e numa delas acordou à hora que eu tinha que me levantar - heaven, I'm in heaven. Nestes três dias recuperei qualquer coisa da Andreia que há em mim - para o bem e para o mal. Ele sabe que está próxima a volta parcial à vida activa (ahahah nunca me senti mais activa do que agora...) e que a mãe precisa de conectar alguns neurónios.
 
Ao fim de 4 meses, momentos de alegria, maravilhosos, felicidade e também de cansaço, de discussão, confusão mental, sinto que nos estamos a encaixar na nova rotina, com dois filhotes (e será que existe rotina com dois filhos?!).
Já sabíamos que ia ser assim (com a despreocupação de ser o segundo e a acumulação de agora serem dois) e efectivamente é preciso haver um grande e inabalável amor para superar os tormentos iniciais. Como diria o João Miguel Tavares, no blog Pais de Quatro, "agarrem-se bem ao mastro do navio, que a tempestade há-de passar!".