Lilypie Joana

Lilypie Kids Birthday tickers

Lilypie Diogo

Lilypie Third Birthday tickers

sábado, 30 de novembro de 2013

Completando o quadro

Ainda naquela 5ª feira do último post, o pai levou a mini ao hospital: infecção urinária. Não tinham evoluído os sintomas, mas a dor, ainda que só ao fazer xixi, não passava.
Íamos em 3 visitas ao hospital em menos de uma semana, 5 este mês, bem lançados!
Eis se não quando, esta 3ª feira voltámos, pois "ainda doí um bocadinho" e aconselharam a repetir a análise. Na minha cabeça já só via os rins alterados... nada disso, tudo normal, nos miúdos ficam estas "impressões".

Na 4ª feira ligam-me da escola a dizer que vomitou, assim como outras crianças. Já só pensava em problemas imunitários... Acho que desde aquela infecção respiratória de Maio fiquei mais "careta". Raisparta as bruxas... vou a uma ou exorcizo a que nos anda a massacrar? Isto desde o Halloween está bravo.
Felizmente foi só esse dia de má disposição e passou (e não fomos ao hospital). Apesar dos ataques seguidos é bem resistente. E eu também! Nada me deitará abaixo!

Ah e na 6ª feira circular da escola: piolhos. Maravilha.

Espero bem que o quadro esteja completo agora.

Sei que há crianças que estão piores e pais que aguentam mais, é tudo relativo.
Agora quando apenas acordar para os leites da noite vou achar maravilhoso (by the way, temos tido umas noites maravilhosas).

Entretanto o Diogo fez 6 meses no sábado passado. O post está em elaboração, também não dá assim para tudo, com o trabalho em apressado ritmo pelo meio.


quinta-feira, 21 de novembro de 2013

E ainda

E claro está, para reforçar que tudo é relativo, a tosse do Diogo foi agravando, na 2a parecia de cão e começou a queixar-se rouquinho... Fomos ao hospital, nada de grave, infecção das vias respiratórias superiores, receita de nebulizações com pulmicort, fenistil e outras.
Bem disposto e sorridente, como só ele mesmo...
Curiosamente umas noites muito boas, a dormir a noite toda.

E nem me vou queixar mais que a coisa agrava. Vai que era tudo ao mesmo tempo? Nem dou ideias até porque hoje a Joana começou a queixar-se que doía ao fazer xixi...
Que doses de reseliência... E de confusão e degradação mental também. Nem sei bem quem sou.

sábado, 16 de novembro de 2013

O problema não és tu, sou eu

De forma inteligente, na 2a feira, mesmo antes de dormir, pus-me a ler os emails do meu colega que caíram no telemóvel e incluíam novos planos para a semana, com marcação de visitas de arranque do projecto. Instalou-se um nervoso miudinho e ansiedade. Consegui adormecer, mas após acordar a 1a vez com o chorinco do mini, não conseguia dormir, passava pelas brasas, sonhava com um grande mix real e não real e entretanto novo choro. Às 6h20 o miúdo estava acordado.
Foi mais um dia de rastos.
As minhas noites continuaram de sonos leves, ouço todos os barulhos deles, custa-me voltar a adormecer. Os dias passo cansada, com montanhas de coisas para fazer, com pouco tempo para tudo.
Eles têm-se portado maravilhosamente dia e noite, ele como um bebé de 5 meses, ela como uma criança de 5 anos.

Tudo isto foi antes da Joana ter voltado a ficar doente, hoje mesmo, com a chamada do infantário a chegar, enquanto estava na reunião semanal.
Aí tudo mudou de perspectiva e estes factos passaram a insignificantes...

sábado, 9 de novembro de 2013

Mais noites loucas para não destoar

Às 6h da matina, o miúdo cantou e não era fome, não tinha sono, queria conversa. Tentei uns mimos encostado a mim e agarrado à chucha, acalmou, mas acordou ao deitá-lo. Despachei o antibiótico da mana e aqui vai leite. Não se fez rogado e depois quase adormeceu... Não... despertou... Tola de sono, pu-lo na espreguiçadeira, deitei-me no sofá e rezei para que pelo menos não fizesse barulho. Adormeceu às 7h30 e eu já dormia. 7h45 acordou a Joana, voltei com ela para a cama. 8h45 acorda o Diogo, volto à sala. Passado um bocado, adormecemos, primeiro ele, depois eu... Depois acorda a Joana, lá fui eu... E volto ao Diogo de seguida.
Foi um dormir aos bocados e só possível porque a Joana não ia à escola.
Espero que se perceba o cansaço, só de escrever já estou saturada.

Mais uma moeda, mais uma volta. No dia seguinte, à tarde só dormiu meia hora às 17h e adormeceu às 22h. À 00h30 encheu a barriga e às 5h já era dia...
Depois de levar a Joana à escola nem conseguia olhar para ele, só me apetecia gritar e fugir.
Ao final do dia estávamos de pazes feitas, tal é o charme do seu sorriso (e porque a reunião correu bem e era 6a feira e sabia que nesta noite o pai ia ajudar).

Esta noite foi melhor, com fome de 3 em 3h, mas pelo menos dormiu até ser dia.

Joana 5 anos e meio, Diogo 5 meses e meio

A Joana dá estalinhos com os dedos.
O Diogo dá turrinhas.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Halloween


Em vésperas de Halloween e depois de alguns dias a "roer" muito, detectámos no pequeno vampiro um dente canino a picar e vê-se um pontinho branco na gengiva.

Talvez isso explique as noites mal dormidas no início da semana passada, dele a gritar e nós a acudir de hora a hora ou menos... :/
E isto depois da semana em que dormiu mal por estar doente e possivelmente pelas alterações alimentares, transformou-me num autêntico zombie.

Entretanto, no rescaldo do Halloween, a cabeça da Joana transformou-se em parque de diversões de piolhos e ficou na 6ª feira de quarentena em casa.
No fim-de-semana apanhou uma valente constipação e acabou por ficar em casa também na 2ª feira, a recuperar.
Ontem, já em preparação para a escola, vi que tinha o corpo todo vermelho, sobretudo na barriga, costas e mãos, em manchas. Lá fomos para o hospital: escarlatina. Apanhei um valente susto, pensei que era grave, porque só me lembrava deste nome da série "Uma casa na pradaria" em que a filha mais velha fica cega com esta doença... Pela calma e explicação da médica vi logo que não e hoje em dia "é só" uma amigdalite com estas manchas.
A miúda continuou o dia como se nada fosse, sem febre, sem dores de garganta e brincou normalmente. Queixou-se de coceira nos dedos das mãos e quis mimos extra, fora isso, tudo bem.
Foi dormir e passar o dia de hoje com a avó R. para não passar para o irmão... e custou-me muito! Quando está bem não me importo nada! Assim fico cheia de saudades, não consigo evitar esta sensação de que precisa da mãe, de que quero estar perto, acompanhar, dar mimos... :) Para a próxima vai o não-doente!
(É para aprender que é normal que as crianças às vezes queiram muito estar nos avós e outras vezes se agarrem aos pais, eles também têm os motivos deles!)

Felizmente, o Diogo resolveu colaborar e dormir bem estas noites, 7/8h seguidas, até à hora normal de acordarmos (olha eu a ver o copo cheio).

Dou por encerrados os festejos do dia das bruxas, já fomos bastante fustigados.