Lilypie Joana

Lilypie Kids Birthday tickers

Lilypie Diogo

Lilypie Third Birthday tickers

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

21 semanas


Chegaram as tonturas e a falta de ar de manhã, alteração nos batimentos cardíacos, com a sensação de cansaço de cair para o lado. Tenho que parar o que estiver a fazer, normalmente a preparar a Joana para a escola, sentar-me e respirar fundo. Provavelmente tensão baixa.
Era escusado.

O problema maior continuam a ser os dentes... Tive o cuidado de tratar os dentes antes da gravidez, mas não de adiantou muito. Segundo a dentista no 1º e 3º trimestre as grávidas estão sujeitas isto. O que doía, que tinha sido "coroado" e teve uma infecção, não tive que desvitalizar, ficou resolvido com antibiótico. Ainda bem que não cantei vitória antes do tempo, já que a gengiva desse lado continua inchada e já se descolou a coroa de outro dente. A sensação que tenho é de que os dentes não são meus, foram substituídos por um pedregulho.
Aparentemente tenho o dom de trincar os dentes à noite o que não ajuda nada ao descanso, nem dos dentes, nem das gengivas. A ver vamos no que dá...
Isto então era mesmo escusado e digam o que disserem, a idade não perdoa.

Assim como era escusado aparecerem-me estrias novas. Com as antigas, já me tinha conformado, não dava mesmo para esticar pelas antigas?

Já começou o "artilhanço": a juntar às meias elásticas (que comecei logo, para evitar as picadelas para corrigir as varizes como da outra vez), já estou a usar a faixa de sustentação, a ver se o bebé não escorrega e mantenho a saúde das costas. Só tinha usado a cinta, mas pareceu-me mais prática a faixa e ao fim de 2 dias já engrenei (e conformei) naquilo.

Desta vez estou mais cansada das limitações e mais ansiosa por ter o bebé nos braços, com a certeza de que vou ter muitas saudades desta barriga (até porque, em princípio, será a última).


Reclamações à parte (salvé à ausência de azia e cãimbras), continuo a viver momentos de elevada alegria e felicidade, como quando o baby dá os seus pontapés cada vez mais fortes, quando depois do jantar me sento no sofá, já ver a barriga aos pulinhos e o miminho da Joana ao mano.
E na verdade, no final, é isto que conta.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

20 semanas

Então, como indica a barrinha em cima, a brincar, a brincar, chegámos ao meio do caminho. Passou a voar e só falta outro tanto.

A barriga, ainda que das S, começa a esticar e a pesar. Já me canso um bocado, sinto algumas limitações e ainda bem, se não era só mais asneiras e ao final do dia parece que a criança me vai cair aos pés, tal é a pressão.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Do alto dos 4 anos


No sofá de manhã pego-a ao colo, abraço-a e digo "minha pequenina".
"Eu não sou pequenina, já tenho 4 anos." - reclama
"Eu sei, mas já te explicámos que para os pais os filhos são sempre pequeninos. A avó N. também acha que sou pequenina" - esclareço a origem do "disparate"
"Então porque é que também dizes isso a mim?"

Toma lá mãe que já almoçaste, não faças aos outros o que não gostas que te façam a ti.


Anda muito entusiasmada com o Dia dos Namorados, que no ano passado foi festejado na escola mais como dia da amizade. Antes dizia que não tinha e o namorado era o pai, agora até já disse que é o Zé. O pai brincou "O quê?!? Isso não pode ser!"
De manhã ao penteá-la lembrou-se que o dia estava quase a chegar e:
"O papá é que não gosta nada disso!"
"Sabes porquê? É que ele acha que é teu namorado." - explico
"Mas eu tenho 4 anos, o papá já passou muito tempo!"

Toma lá papá que já almoçaste, estás um bocado passado.


segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

O Pai stressa


No fim de ano a Joana queixou-se do ouvido (pela 1ª vez na vida), algo que parecia entre o real e o mimo. Estávamos a preparar-nos para sair para C.Paiva e perante a miúda "choca" diz o pai:
"Acho melhor ficarmos e irmos já para o hospital." - radical!
Tínhamos acabado de chegar do "médico da família", o dr. Avô, com indicação de tomar Ben-u-ron e vigilância... Na urgência não nos diriam nada diferente. Felizmente foi mesmo algo passageiro e virou bem o ano.

Esta semana depois do banho da Joana vi uma borbulha estranha na barriga da Joana. O pai dizia que devia ser de algum mosquito, eu respondi que esperava que sim, mas que não tinha grande aspecto. Na minha cabeça, uma palavra, varicela, sobressalta-se o pai: "Achas melhor ir ao hospital?!?"
Jiiisez era só uma borbulha, que não deu em nada, talvez estivesse mesmo era coçada...

Lembro-me bem dela ter pouco tempo e berrar a plenos pulmões à 1h e tal da manhã, nós com plena consciência de que eram cólicas e ele chegar à minha beira em desespero de preocupação com ela ao colo e dizer: "Acho melhor irmos para o hospital ver o que tem!"

Sempre foi mais stressado do que eu (julgo que os pais são mais, de maneira geral) tem bem a quem sair, o avô T. era ainda pior! Não que não esteja atenta e fique preocupada, mas tenho mais presença de espírito para aguentar os episódios quando surgem, nem que depois me dê o abafa!
Também me habituei a com os miúdos ser tudo uma caixinha de surpresas e os problemas terem desfechos inesperados.
O meu stress é mais preventivo, por exemplo, quando os vejo a brincar na tourada só me lembro que a miúda se vai espatifar: "Que brincadeiras! Vai rachar a cabeça!" - depois do caldo entornado, nada a fazer, que não limpá-lo...

Agora a minha brincadeira à mínima nódoa negra é "Vamos para o hospital!"

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Corações


Estou a terminar de preparar o jantar, chega à cozinha e diz-me:
"Posso ajudar-te se quiseres" - com um ar de quem a ajuda era fundamental e preciosa para que a comida chegasse em condições à mesa

Abraço-a de manhã e digo que a adoro:
"Também te adoro mamã e ao baby também"

Depois de um valente ralhete, por resistir ao sono ao domingo, inquieta e com birrinhas de cansaço, dou tréguas, já cansada de mim mesma, e faço-lhe festinhas, retribui, olha para mim: "Gosto muito de ti mamã."

Fez queixa do pai por não lhe ter dado banho antes de saírem para o supermercado e respondi que lhe ía bater. Acho graça e chamou-o. Fiz de conta que batia e o pai reclamou "E se agora bater à mamã?":
"NÃO! Eu protejo-te mamã!" e abre os braços à minha frente.


quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Amigas

Na tarde do outro sábado, antes do jantar de Reis, fomos ao aniversário da amiga que a Joana fez nas férias no Algarve. Na altura troquei contactos com a mãe, até porque às vezes vêm para os nossos lados, mas sempre na perspectiva de "já sei que nunca mais combinámos nada..."
O que é certo é que fomos enviando mensagens e agora proporcionou-se o reencontro. Foi óptimo! Nunca se esqueceram uma da outra e dão-se mesmo bem, talvez por serem duas Joanas! A amiga é uma delícia, extrovertida, divertida, meiguinha...
A festa foi muito gira, na escolinha dela, com um ginásio cheio de diversões e com o espectáculo de um palhaço. Fez rir toda a gente miúdos e graúdos, chorei a rir! Na história que criaram, o papá ainda teve direito a ser o mauzão, a aniversariante a princesa e o pai da aniversariante o príncipe. A minha filha não gostou nada do pai ser mau, muito menos de perder a luta e cair para o lado. Bem torceu pelo mauzão, mas não teve sorte!
Ficou combinado novo encontro em breve para brincarem as duas. Amigas para sempre!



quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

É oficial, he moves, he moves

O miúdo dá pontapés do tipo plinc plinc.
No domingo enquanto via o Benfica-Porto começou a manifestar-se com mais intensidade, cheio de vontade de entrar em campo e marcar o 3º do Porto. Até o Diogo resolvia aquilo!






sábado, 12 de janeiro de 2013

Consulta

2ª feira foi dia de consulta mensal na GO. Continua tudo a correr bem, o bebé está a crescer e com boa vitalidade. Levámos a Joana que gostou de ver a televisão a preto e branco, onde o Diogo estava "sempre a mexer-se". Aparentemente não mostrou grandes emoções, mas pela forma de ser e perguntas que fez depois sei que reteve cada minuto.
O coração ouvia-se ao fundo, em simultâneo com a placenta, que é anterior, por isso dificulta a captura do som.

Aproveitei para esclarecer a dúvidas quanto à desvitalização do dente que tenho que fazer e confirmou que as anestesias hoje em dia são adequadas às grávidas e efectivamente é o melhor trimestre para a intervenção (não me safo, portanto).

A barriga cresce ao seu ritmo, vejo que tal como na Joana não será muito grande. A criança atravessa-se na horizontal e pelos vistos não precisa de profundidade ;)
Estou ansiosa por sentir os pontapés. Na 4ª feira, sentada no sofá a aproveitar os minutos para não fazer nada, pareceu-me qualquer coisa, aquelas bolinhas de sabão a rebentar, mas sem certeza!

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Dos Reis


No sábado tivemos nosso jantar de Reis, em casa dos meus pais, que é a oportunidade de juntarmos todos os primos e tios, como nos tempos de infância.
Hoje em dia todos têm a família "do outro" e alguns pais separados, o que complica a logísitica, por isso há uns anos instituiram-se os Reis.
Desta vez não subimos à cadeira para cantar, mas foi uma galhofa pegada, com as histórias que recordámos e as peripécias da vida de cada um. Há muito não me ria tanto e tanto tempo! Soube mesmo bem.
A S. e o P. e os gémeos foram os únicos ausentes, juntando-se a nós via Skype, com direito a vermos aqueles meninos-Jesus tão fofos.
As miúdas já nos ignoram e brincaram as 3 no quarto do tio J. o que também é muito bom sinal. Com a distracção da conversa não as fui espreitar e estranhando o silêncio constatou-se que picotavam a caneta no tapete, o que que deu um novo padrão...


quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Mimos para a Mãe


Carregada de sacos e saquinhas, a mini ajuda-me a pôr tudo dentro de casa e digo:
"Ah que canseira, ainda bem que tenho esta filhota para me ajudar! O Diogo está a ficar pesado."
"Eu faço as coisas por ti mamã, que eu não tenho um bebé na barriga." - acalma-me.

Chego a casa e estourada no sofá, faz-me uma festinha na cara onde dói e pergunta:
"Estás melhor do teu dentinho?"


Lovely.
 É nestas alturas que lhe dou beijos e a aperto toda até:
"Pronto, mamã, agora já podes largar?"


[e depois, depois vem a refilice e a teimosia que andam ao rubro, o que me faz também querer dar-lhe trincas! Desde que aprendeu a defender-se na escolinha [e bem], em vez de chorar perante as contrariedades, que atingiu níveis elevados. Ora podia bem distinguir com quem fala!]

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Bolo Rei


Eu tenho com o bolo rei uma relação parecida com a do Cavaco.
Mas é a única semelhança com a pessoa, fora isto gosto de mandar o meu bitaite.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

(Férias de) Natal é também...


A miúda passar dias e dormir na casa da avó N., que está de férias, feliz(es) da vida.
Experimentar os brinquedos novos.
Os passeios, brincadeiras e maluqueiras da tia Cristina.
A canja da avó N.
Eu a almoçar em casa da minha mãe, com direito a todos os mimos também.
Brincar aos tigres devoradores de pessoas (?) às cavalitas do avô N. que passeia de gatas pela sala.
Cambalhotas, piruetas e voos com o tio J. e tio João.
Lanchar na avó R..
Algazarra com as primas no quarto em casa do tio V. enquanto sofazamos com a barriga doce.
Jogar Wii com o pai em C. de Paiva.
Festas ao Pintas e à Branquinha.
Passeio "nas montanhas".
Acordar e deitar mais tarde, sem horários e rotinas da escolinha.
Contar histórias ao adormecer, leite e estrelinhas.
A mini dormir a sono solto, as horas que lhe apetece, que até dá gosto ver.
Miminhos ao acordar.
Ausência total de mau humor matinal da miúda (YES grande a isto!)
Ausência de trânsito.

A família.

Por isso este ano, apesar de não ter tido férias para aproveitar a mini, souberam bem outros bocadinhos.

Hoje foi o regresso à escola, sem uma única refilisse, pelo contrário chegou lá aos saltinhos, despachou-me a grande velocidade e disse à educadora que estava cheia de saudades. Um brinde a isto também!




quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Auuuu

Começar o ano com uma dor descomunal num dente e não poder tomar muito mais que ben-u-ron, ninguém merece.
Como dizia, promete.
Vistas bem as coisas, só pode mesmo melhorar.

Hoje, ronda aos médicos, para conciliar opiniões. Eu bem dizia que mais valia tê-los arrancado todos. E é só o que me apetece fazer com os alicates que tenho à minha frente.

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Feliz 2013!


2012 não foi perfeito, mas foi sempre a melhorar, como um bom ano deve ser.*
2013 promete!
Que seja um Bom Ano para todos, sobretudo com saúde, ponto de partida.
E com muitas coisas boas, se for das pequeninas, melhor!






*ignorando e repudiando qualquer comentário político e económico!

Natal 2012



Este Natal foi ainda mais especial, com o Diogo a caminho. A família cresce.
A consoada passámos no meus pais, com os meus irmãos, avós e tios.
Após o jantar ouve cantorias da Joana, em pé em cima de uma cadeira, que me lembrou de quando nós, primos, fazíamos o mesmo. O coro completo será nos Reis quando nos juntamos com os primos e filhotes.
À meia-noite passou por lá o Pai Natal apressado e quando a Joana chegou à sala tinha o sapatinho recheado. "Era mesmo isto que eu queria!" e o olhar de felicidade sabe tão bem! Afinal a carta chegou mesmo ao pólo norte e como era contida, correu bem.
É mesmo mágico acreditar o Pai Natal. Bem me lembro de estar no quarto ansiosa a imaginá-lo na sala a deixar as prendas. Era tão real! E as correrias pelo corredor! E agora compreendo o brilho nos olhos da avó Mimi ao ver-nos desembrulhar.

No dia estivemos em casa dos tios do Marco, com a mãe, irmão, sobrinhas e primos. Foi um dia de brincadeira para a Joana, que vai tentando enturmar com as mais novas, mais velhas que ela. Parte preferida: Wii - Mini-jogos!