quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Novos projectos, vida nova

 
Tanta coisa para contar e ando sem tempo nenhum!
 
Um ano após o "positivo" do Diogo, estou com outros dois embriões nos braços, agora profissionais. Dois novos projectos, agora meus!
 
Quando recebi o convite para o segundo, na minha área de formação, já estava a braços com o primeiro, mais pessoal.
Senti que era demasiado para um coração que vivia apertado, à espera de concretizar este sonho de tornar o mundo um pouco melhor, e se sentia afastado dessa rota. A esperança existiu sempre!
 
Num minuto, a vida muda, as dúvidas, as preocupações mudam, as interrogações sobre o futuro, que me inquietavam, sossegam (ou mudam de perspectiva...).
E surgem novas situações que dão sentido a opções tomadas, a rumos seguidos, aos momentos de inquietação.
É muito bom ter objectivos e sentir que os resultados "só" dependem do nosso esforço, que é unicamente por nós e para nós. E sentir este bichinho, ainda que as pernas possam estar bambas de tanta novidade!
 
Vamos ver no que dá, não nos esquecendo de alegrar e festejar com o que é bom, na mesma proporção com que nos entregamos à tristeza quando corre mal.
 
O Diogo já está a ficar parte do tempo com a Blé, que cuidou também da Joana, para poder dedicar-me aos projectos, ainda que trabalhe em casa. Comecei o meu próprio processo de desmame, após 9 meses de gravidez, 2 deles em repouso, e 4 meses de dedicação ao meu bebé.
Custa é certo, mas não tanto quanto custou deixar a Joana, por ser a 1ª e a (minha) dependência muito maior, por com ele estar metade do dia, mas também porque sabia ao que ia regressar, o que ia encontrar.
A parte verdadeiramente dolorosa é que agora não há grande tempo para descansar e com noites ainda mal dormidas e acordando cedo para tratar da pequenada, o corpo, a cabeça e a disposição é que pagam. De vez em quando o marido e os filhos também...
A coisa há-de ir ao sítio, é mesmo assim. E havemos novamente entrar novamente na tal rotina que tinha encontrado há pouco, com mais ou menos neurónios conectados.
Isto vai, isto vai!


2 comentários:

Mara Quinta disse...

Não sei como, mas aguentamos tudo. E custam tanto as noites mal dormidas... e a paciência não é a mesma, mas tudo se faz.
Que corra tudo bem!
Beijinhos

Andreia disse...

Mesmo, mesmo... Só em piloto automático!